Tremor no Haiti: Como o Espaço pode Ajudar

A NASA e as agências espaciais ao redor do mundo estão apontando seus satélites em direção ao Haiti para tentar entender a catástrofe além de auxiliar as equipes de salvamento e mapear a destruição causada pelo terremoto de efeito devastador ocorrido na última terça-feira (12 de janeiro de 2010).

O satélite da NASA, Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer, famoso pela sigla ASTER é um projeto conjunto com o Japão e o seu satélite Earth Observing-1, ou EO-1, estão fazendo imagens das áreas mais afetadas pelos tremores no Haiti em múltiplos comprimentos de onda.

As equipes de resgate em terra estão comparando essas imagens com imagens feitas antes do tremor para com isso acessar a destruição causada, com isso as equipes podem utilizar esses produtos para auxiliar o resgate, pois assim é possível saber onde os esforços devem ser focados.

Uma rede de satélites trabalhando para o International Charter on Space and Major Disasters, também se juntou a esse projeto. Além disso a Agência Espacial Européia e a Agência Espacial Francesa , o Japão, a China, o Canada e os EUA também estão voltando todos os esforços para a auxiliar na reconstrução do país e na identificação de vítimas.

As imagens resultantes desse esforço internacional mostram principalmente as ruínas da capital do Haiti Porto Príncipe. O tremor ocorreu a apenas 15 Km a sudoeste da cidade.

Pesquisadores europeus combinam dados de diferentes satélites para construir o chamado “mapa de avaliação de estragos”, que mostra quais regiões do Haiti mais foram afetadas. No mapa aqui mostrado as regiões mais afetadas aparecem em vermelho. “A medida que mais dados forem chegando, os mapas serão atualizados e estarão disponíveis a todos aqueles que estão concentrando seus esforços para ajudar o Haiti”, diz os oficiais da Agência Espacial Européia.

Além desses mapas de destruição outras informações vindas do espaço são importantes para se entender o que aconteceu e como será difícil a recuperação do país. O tremor ocorreu, por exemplo, ao longo da falha, chamada Enriquillo-Plaintain Garden, pode-se ver no mapa como essa falha localiza-se próximo à capital do país. Essa imagem foi feita pelo satélite Earth Observing-1, EO-1 da NASA.

Essa outra imagem mostra a topografia e a influência tectônica na região do terremoto. As cores mais leves indicam elevações maiores. Os círculos negros marcam a localização de terremotos determinados pelo USGS, e o tamanho do círculo indica a magnitude do tremor, as linhas vermelhas indicam as linhas de falhas geológicas presentes na região.

O epicentro do trágico tremor ocorrido no dia 12 de janeiro de 2010 ocorreu ao sul da falha Enriquillo-Plaintain Garden, a falha mais ao sul do complexo de duas maiores falhas de convergência entre as placas tectônicas do Caribe e da América do Norte. Essa falha e a topografia ao redor indica que essa é uma região de grande tensão tectônica, essa falha indica que a placa do Caribe está se movendo para leste em relação a placa da América do Norte.

Fontes:

http://www.sciencedaily.com/releases/2010/01/100115204700.htm

http://earthobservatory.nasa.gov/NaturalHazards/view.php?id=42307

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.