InSight Faz Primeira Manobra de Correção de Trajetória Rumo a Marte

O lander Insight da NASA fez sua primeira correção de curso rumo a Marte.

A Insight, que significa, Interior Exploration using Seismic Investigations, Geodesy and Heat Transport, é a primeira missão dedicada a explorar o interior profundo de Marte.

O lander está atualmente encapsulado numa concha protetora, que foi lançado no topo de um foguete Atlas V 401 no dia 5 de Maio de 2018, direto da Base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia. No dia 22 de Maio de 2018, a sonda ligou seus motores para a primeira mudança na sua trajetória de voo. Essa atividade é chamada de manobra de correção de trajetória, irá acontecer no máximo 6 vezes para guiar a Insight até seu destino final em Marte.

Todo lançamento começa com um foguete. Isso é necessário para fazer a sonda sair da força de gravidade da Terra, mas os foguetes não completam a jornada até o outro planeta. Ante do lançamento, cada parte do instrumento é limpa minimizando a ida de micróbios terrestres para outro planeta. Contudo, o foguete e o estágio superior não recebem o mesmo tratamento.

Como um resultado, os lançamentos para Marte sào feitos com o foguete mirado, digamos assim, para longe do alvo. Portanto, separadamente, a sonda realiza uma série de manobras de correção de trajetória para ser colocada no rumo certo até o Planeta Vermelho. Isso, de certa forma, garante que somente a sonda totalmente limpa, irá pousar no planeta, enquanto o estágio superior não passa nem perto.

Cálculos precisos são necessários para que a InSight chegue na posição correta na atmosfera de Marte no momento exato, resultando no pouso que acontecerá no dia 26 de Novembro de 2018. A cada etapa, uma equipe de navegadores estima a posição e a velocidade da sonda. Então eles desenham as manobras para que ela coincida com o ponto de entrada em Marte. Essa equipe de navegação fica baseada no Laboratório de Propulsão a Jato, o JPL da NASA, em Pasadena, na Califórnia, que lidera a missão InSight.

“Essa primeira manobra é a maior que nós conduziremos”, disse Fernando Abilleira, Gerente da Equipe de Desenho de Manobras no JPL. “Os foguetes foram acionados por 40 segundos, o que resultou numa mudança de velocidade de 3.8 m/s na sonda. Isso nos colocou na trajetória correta para Marte”.

Especialmente no começo da jornada, os navegadores confiam na rede DSN de antenas da NASA para rastrear a sonda. O DSN é um sistema de antenas localizadas em três lugares da Terra. Como o planeta gira, cada um desses lugares, sempre estará recebendo informações das sondas, rastreando as suas posições. As antenas também mandam e recebem os dados.

A rede de antenas DSN pode dar uma medida precisa sobre a posição e a velocidade da sonda. Mas prever onde a InSight estará depois dos motores acionados requer muita modelagem, diz Abilleira. À medida que a viagem para Marte continua, os navegadores têm mais informações sobre as forças que agem na sonda. Isso faz com que com o decorrer do tempo eles possam refinar os modelos. Combinado com as medidas de rastreamento da DSN, esses modelos permitem que eles dirijam com precisão a sonda até o ponto desejado.

“A navegação é toda baseada em estatísticas, probabilidades e incertezas”, disse Abilleira. “À medida que adquirimos mais informações sobre as forças que agem na sonda, nós podemos prever melhor como ela está se movendo e como as futuras manobras afetarão sua trajetória”.

No dia 22 de Maio, a queima do motor de 40 segundos, usou 4 dos 8 motores da sonda. Um grupo separado de 4 outros motores é autonomamente ligado diariamente para manter os painéis solares da sonda voltados para o Sol e as antenas apontadas para a Terra. Enquanto é necessário manter a orientação, essas pequenas queimas diárias nos motores introduz erros que os navegadores precisam levar em consideração e então corrigir.

“Todo mundo tem trabalhado duro desde o lançamento para acessar essas pequenas forças e então traçar a trajetória”, disse, Allen Halsell, do JPL, chefe da equipe de navegação da InSight. “As pessoas estão trabalhando muitas horas nisso. Para os engenheiros, é um problema muito interessante e é bem divertido entender tudo isso”.

Quando a sonda estiver a poucas horas de Marte, a força gravitacional do planeta, irá começar a agir também. Nesse ponto, a equipe da Insight estará preparada para outro grande marco da missão, a entrada na atmosfera, a descida até a superfície e o pouso da InSight em Marte.

O JPL é uma divisão do Caltech em Pasadena, na Califórnia, ele gerencia a InSight para o Science Mission Directorate da NASA em Washington. A InSight é parte do Discovery Program da NASA, gerenciado pelo Marshall Space Flight Center em Huntsville, Alabama. A sonda InSight, inclui um estágio de cruzeiro e o lander, e foram construídos e testados pela Lockheed Martin Space em Denver, no Colorado.

Para saber mais informações sobre a InSight, visite:

https://mars.nasa.gov/insight/

Siga a InSight no aplicativo Eyes of The Solar system da NASA, usando o seguinte link:

https://go.nasa.gov/2FSWReg

Fonte:

https://www.nasa.gov/feature/jpl/insight-steers-toward-mars

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.