Centésimo Post!!

Centésimo post no blog, nem acredito, quando comecei a escrever esse blog sinceramente não pensava que ia tão longe. Já comecei vários projetos do tipo na minha vida e que infelizmente não tiveram continuidade. Estou feliz, por esse post de número 100 e espero poder escrever mais 1000, sempre levando informação científica para todos aqueles que gostam dessa área.

Por ser uma entrada comemorativa no blog, resolvi fazer algo diferente e escrever um texto meu. Confesso que não sou muito bom em escrever, sou melhor com os números, mas em certo momento tenho que me libertar dessa fraqueza. Converso com muitos outros “blogueiros” sobre como um blog de divulgação científica deve funcionar. Será que a melhor opção é escrever textos próprios, ou é apenas a divulgação de material científico. Acredito que textos próprios com certeza são muito melhores, porém em determinadas áreas da ciência acontece coisas que impossibilitam que o autor externe sua opinião. Vou citar um exemplo. Imagine você com uma matéria sobre colisão e fusão de galáxias na mão, uma matéria muito boa e que você pensa ser relevante de alguma forma. A não ser que você seja um astrofísico de alto nível, será complicado colocar impressões pessoais nesse determinado assunto. Como contestar ou comprovar os dados apresentados? Como saber qual o comprimento de onda ideal para registrar tal fenômeno? Por outro lado, outros assuntos são bem mais plausíveis de uma declaração pessoal, ou de uma pesquisa, pois não necessita que dados de extrema qualidade sejam necessários para comprovar ou não tal fato. Assim acredito ser a mescla entre artigos de divulgação e pesquisas bibliográficas o ideal para que um blog científico possa ter uma vida longa.

Acho que tudo isso se deve ao grande fluxo de informação que temos atualmente. Quando comecei a me interessar com divulgação científica sempre na área de astronomia que é minha paixão, estávamos no começo da longínqua década de 1990. Naquele tempo, internet era algo restrito dos militares americanos, o acesso a revistas importadas era algo dificílimo. Mas mesmo assim consegui por alguns anos manter o saudoso Boletim Astronômico Aldebaran. Escrevia, traduzia matérias de revistas e depois de imprimir, tinha que ir ao correio e despachar para todos aqueles contatos que formavam um belo ciclo de amigos e cientistas. E as imagens então? Essas eram praticamente inacessíveis para amadores. Por exemplo, para conseguir imagens da NASA escrevi mais de 20 cartas ao JPL, com um inglês deplorável, pedindo fotos, e imagens interessantes. Depois de infindáveis 7 meses, recebo um pacote na minha casa com mais de 30 fotos diretas do JPL. Fiquei tão feliz que guardo o envelope até hoje. Tempos difíceis? Depende do ponto de vista. Hoje, se você assina um site da internet para receber informações científicas, em minutos seu computador é invadido por uma enxurrada de informações, das mais diversas possíveis, desde o mapeamento do DNA de uma mosca, até o registro de ondas gravitacionais causadas por um buraco negro gigante. Quanto às imagens se entrar no site do Hubble, você tem em alguns segundos acesso a milhares de imagens, sendo a maioria delas as mais surpreendentes do universo até hoje.

Por tudo isso, acredito que o grande mérito de todos nós que divulgamos a ciência no Brasil, está no árduo, porém em muitos momentos prazeroso trabalho de mineração da informação. No meio de toda aquela verdadeira nuvem de tags, conseguimos separa o joio do trigo. Esse blog nasceu com esse objetivo e procuro manter essa missão. Não sou um grande escritor para redigir colunas e matérias próprias dignas de publicação como muitos que conheço aqui nesse mundo virtual que escrevem verdadeiramente bem, mas acho que consigo garimpar boas informações para serem transmitidas aos internautas fissurados em ciência.

Por essas razões e depois de conversar com muitos amigos blogueiros decidi continuar seguindo essa mesma linha editorial. Espero a partir do próximo post, o de número 101 continuar brindando a todos com belas imagens e com fatos interessantes do mundo científico. Agradeço desde já a todos que acessam esse blog, pelo apoio, e agradeço muito a todos os comentários que venho recebendo nesse período. Prometo a todos que irei sempre tentar melhorar e buscar informá-los da maneira mais correta e precisa possível. Saudações a todos os amigos blogueiros e vida longa a todos os blogs científicos. Viva a ciência.

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.