Anomalia de Temperatura na Superfície Terrestre – Julho 2010

Uma onda de calor “fritou” o leste dos Estados Unidos no início de Julho de 2010, provável crise energética, trânsito lento, evacuação de lares e os residentes da Costa Leste se protegendo em centros de resfriação de acordo com os noticiários. As temperaturas atingiram os 105 graus Fahrenheit (41 graus Celsius) em Baltimore por dois dias consecutivos. A onda de calor foi um fenômeno global. Pequim também experimentou calor próximo do recorde e as temperaturas chegaram a atingir 122 graus Fahrenheit (50 graus Celsius) no Kuwait.

Esse mapa global aqui reproduzido mostra o mapa de anomalias de temperatura para o período entre 4 e 11 de Julho de 2010, comparado com as temperaturas nos mesmos períodos de 2000 até 2008. As anomalias são baseadas na temperatura da terra observadas pelo Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) a bordo do satélite Terra da NASA. As áreas com temperatura acima da média aparecem em vermelho e laranja e áreas com temperaturas abaixo da média aparecem em azul. Oceanos, lagos e áreas com dados insuficientes  (normalmente pela presença de nuvens) aparecem em cinza.

Uma faixa vermelha brilhante pode ser vista cruzando a costa leste americana. Temperaturas mais quentes também ocorrem no Canadá, partes da Europa, Sibéria e leste da China. O pedaço mais evidente de temperaturas acima da média aparecem ao norte do Mar Cáspio. Nem todas as áreas são atingidas pelo calor, temperaturas abaixo do normal são vistam em grande parte da América do Norte e partes da Eurasia.

Pelo fato dessa imagem mostrar anomalias de temperatura e não a temperaturas absolutas, nem todas as áreas em vermelho são mais quentes que as áreas em azul. Por exemplo, a região em vermelho ao norte do Canadá não é mais quente que a área que aparece em azul no norte do México. Embora tons vermelhos predominem ao longo da costa do meio Atlântico, as temperaturas absolutas são mais quente na região em laranja no sudoeste americano. Normalmente condições de temperatura mais quentes predominam na América do Sul, mas no mês de julho quando foi feita a imagem o hemisfério sul está no inverno.

Ondas de calor muitas vezes iniciam um debate sobre o aquecimento global, mas é importante considerar não somente uma onda de calor como evidência de mudanças climáticas de grande escala; ondas de calor podem e ocorrem em qualquer tipo de clima. Contudo com o aquecimento climático espera-se que aumente as ondas de calor. Normalmente temperaturas mais quentes em Maio e Junho de 2010 continuaram com uma tendência de aquecimento, principalmente pronunciada no Ártico.

A seção chamada Earth Observatory’s Global Maps fornece uma animação mensal da temperatura na superfície de Fevereiro de 2000 até hoje. (http://earthobservatory.nasa.gov/GlobalMaps/view.php?d1=MOD11C1_M_LSTDA#)

Fonte:

http://earthobservatory.nasa.gov/IOTD/view.php?id=44664

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.