Direto do Observatório Lunar Vaz Tolentino: O Poderoso Hércules

Cratera HERCULES – Cratera com 69 Km (43 Km) de diâmetro. 

Coordenadas Selenográficas: Lat: 46.7º N  Long: 39.1º E.

Foto nos mapas LAC 27 e LAC 26.

Melhor época para observação: 4 dias após à fase “Lua nova” ou 3 dias depois da fase “Lua cheia”.

Quem foi Hercules ? Nome em latin dado pelos antigos romanos a Héracles, famoso pela sua força e herói da Mitologia Grega. Era filho de Zeus com a mortal Alcmena (mulher de Anfitrião, rei de Tebas. Enquanto Anfitrião estava na guerra, Zeus transformou-se na figura de Anfitrião para enganar Alcmena e ter com ela o filho Hércules).

No quadrante nordeste da Lua, localizam-se um par de proeminentes crateras de impacto: Atlas e Hercules.

Hercules que tem 3.2 Km de profundidade, teve o piso interno de sua cratera inundado por lava basáltica, tempos depois do impacto que a cunhou na superfície lunar. Seu pico central foi soterrado pela lava escura. Porém, se observarmos atentamente o seu centro, e veremos uma minúscula protuberância que os cientistas suspeitam ser uma parte remanescente do pico de uma montanha central. Essa minúscula saliência está posicionada ao norte da pequena e jovem cratera Hercules G (14 Km de diâmetro), que quase acertou na “mosca” do alvo Hercules.

A borda sul de Hercules está “carimbada” pelo impacto da minúscula cratera Hercules E (9 Km de diâmetro). No passado, na região de Hercules, foram registrados relatos de TLP (Transient Lunar Phenomenona – fenômeno lunar transitório, breve ou passageiro), que são descritos como aparições rápidas de luzes, cores ou mudança de aparência no visual, o que poderia demonstrar a existência de manifestações vulcânicas, escape de gases ou outros processos geológicos que supostamente implicaria que a lua não estaria geologicamente morta. O termo TLP foi criado em 1968 pelo astrônomo inglês Sir Patrick Moore, autor de mais de 70 livros sobre astronomia e colunista da revista inglesa Sky at Night.

Atlas e Hercules são margeadas por barreiras provenientes dos escombros causados pelos impactos que as criaram.

Dados técnicos da foto:

Autor:

Ricardo José Vaz Tolentino.

Data e Hora:            

 ?22? de ?fevereiro? de ?2011, ??02h25m.

Foto com apenas 1 frame, sem longa exposição ou “empilhamento”. Não foram utilizados filtros.

Telescópio:                        

Refletor Dobsoniano SkyWatcher Collapsible Truss-Tube;

Diâmetro Espelho Primário:      

305mm (12”);

Distância Focal:                 

1500mm;

Focal/Ratio – (f/):               

5;

Tripé ou Montagem:                     

Dobsoniana;

Barlow:                                

Celestron Ultima 2X Barlow;

Câmera:                               

Orion StarShoot Solar System Color Imager III;

Não deixem de visitar o site oficial do Observatório Lunar Vaz Tolentino na internet onde é possível encontrar centenas de imagens da Lua e de outros objetos do Sistema Solar além de informações sobre astronomia e ciência em geral. Visitem: www.vaztolentino.com.br

Fonte:

www.vaztolentino.com.br

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.