fbpx

Direto do Observatório Lunar Vaz Tolentino: Cratera LANGRENUS

LANGRENUS – diâmetro: 127 Km (79 milhas), Lat: 8.9º S  Long: 61.1º E.

Foto no mapa LAC 80.

Melhor época para observação: 3 dias após à fase “Lua nova” ou 2 dias depois da “Lua cheia”.

Quem foi Michel Florent Van Langrenus (1598 – 1675) ? Engenheiro, cartógrafo e astrônomo holandês.

A cratera Langrenus é relativamente jovem, com paredes internas largas (largura média de 20 Km) e em forma de degraus ou curvas de nível (“terraces”), porém deformadas. O lado leste de sua parede chega a atingir 3km de altitude. Seu piso é extenso e plano, um pouco áspero (com a presença de pedaços de rochas) na parte noroeste e com uma massiva montanha central, que atinge altitude 1000m em seu pico.

Sua borda externa, que é do tipo “rampart” ou “fortificada”, está um pouco deformada do lado sul. Sua profundidade é de 2,7 Km. Existem fragmentos de sistemas de raios brilhantes, distribuídos do lado oeste, através da superfície do Mare Fecunditatis.

Langrenus é uma cratera de impacto localizada perto do limbo leste da Lua, mais precisamente na borda leste do Mare Fecunditatis.  O piso interno dessa cratera tem uma alta taxa de albedo (capacidade de refletir a luz).

Em 1992, astrônomos da Universidade de Paris relataram a ocorrência de uma espécie de névoa brilhante no piso de Langrenus, e teorizaram que supostamente seria proveniente de escapamento de gás através de fraturas do chão da cratera. Dessa forma, nesse relato, ficou registrado a ocorrência de TLP (Transient Lunar Phenomenon– fenômeno lunar transitório, breve ou passageiro), que são descritos como aparições rápidas de luzes, cores ou mudança de aparência no visual, o que poderia demonstrar a existência de manifestações vulcânicas, escape de gases ou outros processos geológicos que supostamente implicaria que a lua não estaria geologicamente morta. O termo TLP foi criado em 1968 pelo astrônomo inglês Sir Patrick Moore, autor de mais de 70 livros sobre astronomia e colunista da revista inglesa Sky at Night.

Dados técnicos da foto:

Autor:

Ricardo José Vaz Tolentino.

Data e Hora:

19? de ?fevereiro? de ?2011, ??01h38m.

Foto com apenas 1 frame, sem longa exposição ou “empilhamento”. Não foram usados filtros.

Telescópio:

Refletor Dobsoniano SkyWatcher Collapsible Truss-Tube;

Diâmetro Espelho Primário:

305mm (12”);

Distância Focal:

1500mm;

Focal/Ratio – (f/):

5;

Tripé ou Montagem:

Dobsoniana;

Barlow:

Celestron Ultima 2X Barlow;

Câmera:

Orion StarShoot Solar System Color Imager II;

Não deixem de acessar o site do Observatório Lunar Vaz Tolentino para maiores informações e outras belas imagens da Lua. Visitem: www.vaztolentino.com.br

Fonte:

www.vaztolentino.com.br

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .