fbpx

VST Fotografa A Missão Gaia a Caminho de Um Bilhão de Estrelas

potw1407a


observatory_150105Estas novas imagens obtidas pelo Telescópio de Rastreio do VLT (VST) do ESO, mostram a sonda Gaia da ESA situada a cerca de 1,5 milhões de quilômetros além da órbita da Terra.

Lançada na manhã de quinta-feira, 19 de dezembro de 2013, a sonda tem por objetivo construir um mapa em três dimensões da nossa Galáxia durante os próximos cinco anos. Mapear o céu tem sido uma das demandas da humanidade desde o início dos tempos e Gaia levará a compreensão da nossa vizinhança estelar a um novo nível. A sonda medirá com extrema precisão as posições e os movimentos de cerca de um bilhão de estrelas na nossa Galáxia, explorando a composição, formação e evolução da Via Láctea.

Estas novas observações são o resultado de uma estreita colaboração entre a ESA e o ESO, que visa monitorar o satélite a partir do solo. Gaia é o instrumento astrométrico mais preciso já construído, mas de modo a que as suas observações sejam úteis é necessário saber com perfeita exatidão a sua posição. A única maneira de saber a velocidade e posição da sonda com extrema precisão consiste em observá-la diariamente a partir do solo – com o auxílio de telescópios incluindo o VST do ESO numa campanha conhecida por Ground-Based Optical Tracking (GBOT).

O VST é um telescópio de vanguarda de 2,6 metros equipado com a OmegaCAM, uma enorme câmara CCD de 268 milhões de pixels, com um campo de visão quatro vezes a área da Lua Cheia. O VST obteve estas imagens com o auxílio da OmegaCAM a 23 de janeiro de 2014, com uma diferença de 6,5 minutos uma da outra. Gaia vê-se claramente como um pequeno ponto que se desloca sobre o fundo imóvel das estrelas. A sua localização está indicada em vermelho. Nestas imagens a sonda é cerca de um milhão de vezes mais tênue do que o que pode ser detectado a olho nu.

Gaia foi observada anteriormente em dezembro de 2013 pelo VST, logo depois de seu lançamento – um dos objetos mais próximos já observados pelo VST. A sonda estava precisamente no local esperado, realçando uma colaboração bem sucedida entre a astronomia feita no solo e no espaço!

Fonte:

http://www.eso.org/public/brazil/images/potw1407a/


alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo