Um Vento de Rochas Pulverizadas

Essa cratera é conhecida como Wurzelbauer D, que de acordo com o System of Lunar Crater tem 38 km de diâmetro. Ela é uma cratera de idade intermediária que preserva sua forma inicial, mas avalanches nas paredes têm suavizado os terraços e preenchido o assolho, enterrando o pico central. O que é marcante é a cadeia que se estende desde a proximidade do anel da crista na posição de 8 horas até o seu assoalho na posição de 9 horas, e então sobe novamente o anel na posição de 12 horas. Observando o assoalho da D existe outra cadeia ou borda indo do norte ao sul, com a porção leste do assoalho sendo uma superfície rugosa cheia de numerosas crateras de impacto. O assoalho da porção oeste é relativamente suave e livre de crateras. As observações sugerem que ambas as cadeias e o assoalho suave foram no passado ejetados desde a cratera Tycho. Espera-se identificar se a cadeia da borda de uma ejeção mais larga depositou o que inclui a parte oeste do assoalho. Também parece que o material – ejetado – desceu pelo anel da cratera da posição de 4 para 6 horas, desse modo talvez a porção leste rugosa do assoalho também seja resultado da ejeção de material. Será interessante observar essa feição sob uma iluminação solar para melhor poder ver a topografia de pequena escala, mas essa imagem com o Sol na parte mais alta é suficiente para revelar os padrões de ejeção que estamos familiarizados em ver na Lua.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/November+30,+2010

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo