fbpx

UM RIO DE ESTRELAS PRÓXIMO DO SOL | SPACE TODAY TV EP.1713

——————————————————————–

**** CONHEÇA A LOJA OFICIAL DO SPACE TODAY!

http://www.spacetodaystore.com

Camisetas, e muitos produtos para vocês. Visite!

——————————————————————————-

Para fazer parte do seleto grupo dos apoiadores!!!

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

——————————————————————————-

Os aglomerados de estrelas são uma das principais características da nossa galáxia, a Via Láctea.

Esses aglomerados aparecem com uma grande diversidade de tamanho e idades.

Em nuvens moleculares, encontramos muitos aglomerados de estrelas bem novos, no disco galáctico encontramos alguns aglomerados de meia idade, e no halo galáctico encontramos raros aglomerados de estrelas bem mais velhas.

Desde que nascem os aglomerados estão sujeitos às forças da galáxia, que acabem dispersando-os.

Depois do surgimento boa parte dos aglomerados dispersam rapidamente, pois eles não possuem mais uma força interna, suficiente para suportar as forças da galáxia.

Quando esses aglomerados se dispersam eles forma verdadeiros rios de estrelas na galáxia.

E essas são estruturas importantes da nossa ilha no universo.

Falou em estrutura da galáxia, falou em estrelas, a gente já lembra logo da missão Gaia.

E um grupo de pesquisadores, usando a precisão incrível da missão Gaia conseguiu medir o movimento tridimensional das estrelas no espaço, e descobriram um grupo de estrelas próximas se movendo juntas, grupo esse que ainda não havia sido descoberto.

Ao estudar esse grupo com detalhe, os pesquisadores descobriram que as estrelas faziam parte de algo que tinha sido no passado um aglomerado de estrelas e que havia sido desmantelado pela força gravitacional da galáxia.

Os pesquisadores determinaram que esse verdadeiro rio de estrelas é formado por cerca de 4000 estrelas e todas com a mesma idade aproximada de 1 bilhão de anos. com essa idade esse grupo de estrelas já completou uma órbita ao redor da Via Láctea e por isso já desenvolveu a estrutura de fluxo de estrelas.

Essa descoberta é comparada pelos astrônomos como encontrar uma agulha num palheiro, e é de suma importância pois através das forças gravitacionais associadas é possível estimar com maior precisão a massa da nossa galáxia.

Além disso, esse rio de estrelas serve para entender melhor a estrutura da via láctea, e devido a proximidade, serve como um belo laboratório para se procurar por exoplanetas, lembrando que o Sol, e consequentemente a Terra, nasceram num desses aglomerados.

Os pesquisadores continuarão investigando a estrutura da Via Láctea com a missão Gaia e quem sabe descobrindo novos rios de estrelas.

#RioDeEstrelas #Gaia

fonte:

https://phys.org/news/2019-02-river-stars-solar-neighborhood.html

https://www.aanda.org/articles/aa/pdf/2019/02/aa34950-18.pdf

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo