Um Fantasma Nas Plêiades

The Hubble Space Telescope has caught the eerie, wispy tendrils of a dark interstellar cloud being destroyed by the passage of one of the brightest stars in the Pleiades star cluster. Like a flashlight beam shining off the wall of a cave, the star is reflecting light off the surface of pitch black clouds of cold gas laced with dust. These are called reflection nebulae.

Essa imagem fantasmagórica mostra o que acontece quando uma nuvem interestelar passa muito perto de uma estrela. Essa é a Nebulosa Merope de Barnard, também conhecida como IC 349, é uma nuvem de gás e poeira interestelar que viaja através do aglomerado estelar das Plêiades com uma velocidade relativa de 11 km/s. Ela está passando perto da estrela Merope, localizada a 0.06 anos-luz de distância da nuvem, o que é equivalente a 3500 vezes a dist6ancia entre a Terra e o Sol. Essa passagem está rompendo a nebulosa e criando esse efeito de filamentos observado na imagem.

A estrela Merope está localizada fora do frame na parte superior direita. A luz da estrela está sendo refletida na superfície da nuvem, que a ilumina e se torna o que os astrônomos chamam de nebulosa de reflexão. O feixe de luz na parte superior direita da estrela é um efeito produzido pelo telescópio, mas os filamentos da parte inferior esquerda para a parte superior direita são reais.

Os astrônomos acreditam que a pressão de radiação da estrela está agindo para separar as partículas de poeira de diferentes tamanhos. À medida que a nebulosa se aproxima da estrela Merope, a luz da estrela desacelera as partículas de poeira, mas as partículas pequenas desaceleram mais que as partículas grandes. Como efeito disso, quase que a totalidade das linhas que estão saindo em direção a Merope, nessa imagem são feitas de partículas grandes, enquanto que as partículas menores ficam para trás, criando a estrutura filamentar na parte inferior esquerda.

A nebulosa irá continuar sua aproximação em direção a Merope durante os próximos milhares de anos e eventualmente irá passar pela estrela, se ela sobreviver. O estudo da interação entre nebulosas e estrelas é importante pois fornece uma chance de observar o material interestelar numa situação pouco comum e aprender mais sobre a poeira interestelar.

A nebulosa perto da estrela Merope foi descoberta em 1890 por E. E. Barnard, usando um telescópio de 36 polegadas no Observatório Lick, na Califórnia. Essa imagem foi capturada pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA em 19 de Setembro de 1999 e foi originalmente publicada em 2000.

Fonte:

https://www.esa.int/
Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.