fbpx
27 de fevereiro de 2024

SETI Detecta Sinal Que Pode Resolver O Mistério das FRBs

Um time de cientistas do Instituto SETI revelou novas perspectivas sobre um mistério cósmico conhecido como Fast Radio Bursts (FRBs). A descoberta e a observação detalhada do FRB repetitivo 20220912A, feitas no Allen Telescope Array (ATA) atualizado do Instituto SETI, lançaram luz sobre a natureza desses sinais espaciais.

Os FRBs são breves e intensos flashes de ondas de rádio vindos do espaço profundo. Enquanto a maioria ocorre apenas uma vez, alguns “repetidores” emitem sinais mais de uma vez, acrescentando intriga à compreensão de sua origem. Ao longo de 541 horas de observação, os pesquisadores detectaram 35 FRBs do repetidor FRB 20220912A. As observações, realizadas usando o ATA, cobriram uma ampla faixa de frequência de rádio e revelaram padrões fascinantes. Todos os 35 FRBs foram encontrados na parte inferior do espectro de frequência, cada um com sua assinatura energética única.

“Este trabalho é emocionante porque fornece tanto a confirmação das propriedades conhecidas dos FRBs quanto a descoberta de algumas novas”, disse a Dra. Sofia Sheikh, da SETI Institute, bolsista pós-doutorado do NSF MPS-Ascend e autora principal. “Estamos reduzindo a fonte dos FRBs, por exemplo, a objetos extremos como magnetars, mas nenhum modelo existente pode explicar todas as propriedades observadas até agora. Foi maravilhoso fazer parte do primeiro estudo de FRB feito com o ATA – este trabalho prova que novos telescópios com capacidades únicas, como o ATA, podem fornecer uma nova perspectiva sobre os mistérios pendentes na ciência dos FRBs.”

Os resultados detalhados, publicados recentemente no jornal Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (MNRAS), destacam os comportamentos intrigantes dos FRBs. Esses sinais misteriosos exibem um declínio frequencial descendente, uma conexão entre sua largura de banda e frequência central, e mudanças na duração dos pulsos ao longo do tempo. A equipe também observou algo que nunca havia sido relatado antes: houve uma queda perceptível na frequência central dos pulsos ao longo dos dois meses de observação, revelando um inesperado “slide-whistle” cósmico.

Além disso, os pesquisadores usaram essas observações para prever um ponto de corte para os pulsos mais brilhantes do FRB 20220912A, indicando sua contribuição para a taxa geral de sinal cósmico. Na verdade, este objeto específico foi responsável por alguns porcentos de todos os FRBs fortes no céu durante essas observações.

O estudo também investigou os padrões temporais das sequências de pulsos, procurando repetições dentro e entre os FRBs. Nenhum padrão claro foi encontrado, destacando a imprevisibilidade desses fenômenos celestes.

Este trabalho demonstra o papel importante do ATA na decodificação dos mistérios dos FRBs. O ATA possui a capacidade única de registrar um grande número de canais de frequência ao mesmo tempo, mesmo que estejam amplamente separados – por exemplo, onde algumas frequências são muito altas e outras muito baixas. Isso permite verificações instantâneas quando um FRB chega, para limitar o que o FRB está fazendo simultaneamente em altas e baixas frequências. Atualizações em andamento prometem ainda mais capacidades, para detectar FRBs mais fracos em ainda mais frequências simultaneamente, garantindo que o ATA permaneça na vanguarda do avanço de nossa compreensão dos FRBs.

“É emocionante ver o ATA envolvido na pesquisa de FRB três anos após o início de seu programa de atualização”, disse o Dr. Wael Farah, Cientista do Projeto ATA do Instituto SETI e coautor. “O ATA possui capacidades únicas que estão sendo utilizadas em muitos empreendimentos de pesquisa, incluindo transientes rápidos.”

Essa descoberta marcante representa um avanço significativo na busca contínua por desvendar os segredos de objetos extremos no universo. À medida que os cientistas continuam explorando o cosmos, cada característica única que descobrimos nos aproxima mais da compreensão das origens e da natureza desses cativantes sinais cósmicos.

Fonte:

https://scitechdaily.com/mysterious-new-signals-detected-by-seti-unlocking-the-strange-puzzle-of-fast-radio-bursts/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo