Satélite da NASA Registra Céus Calmos Sobre Três Oceanos da Terra

globe_vir_2013251_lg


observatory_150105Nós vivemos num planeta inquieto e dinâmico. Em um dia, é normal ter um ciclone, uma depressão tropical, ou tempestades tropicais em algum lugar da Terra. Mas por um breve momento nessa semana que passou, os céus sobre todos os oceanos estavam relativamente calmos.

A imagem acima é uma composição de 14 passagens polares de satélite, ou varreduras, que foram colocadas, do dia 8 de Setembro de 2013. As imagens em cor natural foram adquiridas pelo instrumento conhecido como Visible Infrared Imaging Radiometer Suite, ou VIIRS, a bordo do satélite Suomi National Polar-orbiting Partnership, ou Suomi NPP.

No momento dessas passagens que aconteceram aproximadamente no meio do dia, não existiam furacões, ciclones, ou tempestades tropicais sobre as bacias do Atlântico, do Pacífico, ou do Oceano Índico, uma ocorrência relativamente rara no auge da temporada dos furacões e ciclones  no hemisfério norte da Terra. Existem várias regiões cobertas por nuvens e algumas tempestades. No leste do Pacífico, pode-se ver o resto da tempestade tropical Lorena, perto da península de Baja. No Atlântico leste, os pedaços de uma depressão tropical #9 estavam começando a se juntar  perto da ilha de Cabo Verde, no dia seguinte, a tempestade tropical Humberto se formou.

Nos meses de Maio e Agosto de 2013, o National Hurricane Center previu uma chance de 70% de uma temporada com uma atividade acima do normal, com 13 a 20 tempestades importantes e entre 7 a 11 furacões. Uma temporada, digamos normal, produz 12 tempestades, incluindo 6 furacões. Na segunda semana do mês de Setembro de 2013 (o ponto médio da temporada de furacões do Atlântico), existiam nove tempestades, de acordo com as previsões, mas somente uma atingiu a intensidade correta para ser chamada de furacão.

O furacão, Humberto, foi observado em 11 de Setembro de 2013, pelo Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) do satélite Terra da NASA. Humberto, tornou-se um furacão por volta das 5 da manhã do dia 11 de Setembro. Em 13 de Setembro, o Humberto tinha enfraquecido e se tornado uma tempestade tropical. As previsões dizem que ele se tornará novamente um furacão no dia 19 de Setembro de 2013, quando ele estará no meio do Oceano Atlântico e bem longe da terra. O início lento não diz necessariamente que a temporada de furacões será tranquila. “O que acontece na parte inicial da temporada dos furacões não é geralmente um bom indicador da segunda metade da temporada, que é quando a maior parte dos furacões se formam”, disse Gerry Bell, líder da equipe de previsão dos furacões sazonais da National Oceanic and Atmospheric Administration. “A NOAA observa de maneira geral a estação de furacões e não um mês em particular durante toda a temporada”.

No período de 1981 a 2010, a bacia Atlântica teve uma média de seis furacões por ano, e 61 por cento de todas as tempestades importantes do Atlântico se formaram de Setembro a Novembro. “A temporada de furacões de 2013 foi anunciada como fantástica, mas até meados de Setembro, ela tem sido bem tranquila”, disse Bill Patzert, climatologista do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA. “Apesar de tudo, fique atento e vigilante. Os furacões podem tardar e serem ativos. Lembre do furacão Sandy que chegou só no final do mês de Outubro de 2012”.

Fonte:

http://www.nasa.gov/content/calm-skies-over-three-oceans/#.Ujee3MbFXLw


alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo