Rover Curiosity da NASA se Aproxima do Primeiro Aniversário Em Marte

pia17083-640

observatory_150105O rover Curiosity da NASA fará um ano em Marte na próxima semana e já realizou seu principal objetivo científico em revelar que o antigo ambiente do planeta Marte poderia suportar a vida. O laboratório móvel está guiando o desenvolvimento para as futuras missões planetárias.

“O sucesso do Curiosity – que desceu de forma espetacular a um ano atrás em Marte e as descobertas científicas desde então – nos está fazendo avançar em explorações posteriores, incluindo o envio de humanos a um asteroide e a Marte”, disse o administrador da NASA Charles Bolden. “As rodas do Curiosity estão girando por lá agora, levaremos nossas botas para deixar as pegadas lá depois”.

PIA17083

Após inspirar milhões de pessoas em todo o mundo com o seu pouso realizado com sucesso na cratera no Planeta Vermelho em 6 de Agosto de 2012, o Curiosity tem fornecido mais de 190 gigabits de dados, retornou mais de 36700 imagens completas e 35000 miniaturas, disparou mais de 75000 tiros de laser para investigar a composição dos alvos, coletou e analisou material amostrado de duas rochas, e dirigiu por mais de 1 km, 1.6 km para ser preciso.

Os membros da equipe do Curiosity no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, na Califórnia, irão compartilhar as lembranças da dramática noite quando o Curiosity pousou em Marte e de toda a missão num evento que irá ao ar pela NASA TV das 11:45 ao meio dia, da próxima terça feira, dia 6 de Agosto de 2013. Depois desse programa das 13:30 às 14:30, a NASA TV irá transmitir um evento público desde a sede da agência em Washington. Esse evento mostrará os oficiais da NASA e membros da tripulação da ISS discutindo sobre o aniversário do rover em Marte e como as atividades de outros projetos robóticos estão ajudando a preparar a missão humana a Marte e a um asteroide. Quem

O Curiosity, que tem o tamanho de um carro, viajou 699 metros nas últimas quatro semanas desde que deixou um grupo de alvos científicos onde trabalhou por mais de seis meses. O rover está trilhando seu caminho até o Monte Sharp, onde investigará as camadas inferiores da montanha que se ergue a mais de 3 milhas de altura com relação ao assoalho da cratera.

PIA17082

A sonda do Mars Science Laboratory da NASA e seu sistema de pouso constituído de um guindaste, o famoso sky crane, colocaram o rover Curiosity no interior da cratera perto da base do Monte Sharp. A montanha possui camadas geológicas expostas, incluindo algumas identificadas anteriormente por sondas na órbita de Marte como sendo originadas em um ambiente úmido. O rover pousou a aproximadamente 1.6 km do centro da área alvo cuidadosamente escolhida e com 20 km de comprimento.

Os cientistas decidiram primeira investigar afloramentos mais próximos onde a missão rapidamente encontrou sinais de vigorosos fluxos antigos em Marte. Esses foram os primeiros depósitos de pedregulhos em fluxo já examinados de perto em Marte.

msl_20130801_facts

Evidências de ambientes passados que poderiam suportar a vida microbiana vieram nos primeiros 8 meses da missão primária programada de 23 meses, a partir de análises das primeiras amostras de material já coletados por perfurações feitas em rochas em Marte.

“Nós agora sabemos que Marte ofereceu condições favoráveis para a vida microbiana a bilhões de anos atrás”, disse o cientista de projeto da missão, John Grotzinger do Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena. “Foi um sucesso gratificante, mas que abre o nosso apetite para aprendermos cada vez mais. Nós esperamos que essas camadas do Monte Sharp preservem uma vasta diversidade de outras condições ambientais que poderiam ter afetado a habitabilidade no Planeta Vermelho”.

A missão mediu níveis de radiação natural na sua viagem a Marte e está monitorando a radiação e o clima na superfície de Marte, que ajudarão de forma decisiva o desenvolvimento de futuras missões humanas ao planeta. A missão Curiosity também encontrou evidências que Marte perdeu a maior parte de sua atmosfera original por meio de um processo que ocorreu no topo da atmosfera. A próxima missão da NASA a Marte, a Mars Atmosphere and Volatile Evolution (MAVEN), está sendo preparada para ser lançada em Novembro com o objetivo de estudar esses processos na atmosfera superior do planeta.

PIA17085

O JPL, uma divisão do Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadane, gerencia a missão Curiosity e construiu o rover para o Science Mission Directorate da NASA em Washington.

Para seguir as conversas online sobre o primeiro ano da missão Curiosity em Marte, use a hashtag #1YearOnMars ou siga @NASA e @MarsCuriosity no Twitter.

Para assistir o vídeo da NASA TV via streaming e informações sobre a programação, acesse http://www.nasa.gov/nasatv. Os eventos da próxima terça feira serão transmitidos também via Ustream no http://www.ustream.tv/nasajpl.

Para mais informações sobre a missão visite, http://www.nasa.gov/msl e http://mars.jpl.nasa.gov/msl.

Abaixo um vídeo de dois minutos feito com imagens obtidas pela Hazard Avoidance Camera que mostra o primeiro ano da missão em Marte. O vídeo está disponível em: http://mars.nasa.gov/msl/1yearin2mins.

Fonte:

www.jpl.nasa.gov/news/news.php?release=2013-240

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.