fbpx

Resolvido o Mistério da Nebulosa do Anel Azul

O mistério de um anel de luz ultravioleta ao redor de uma estrela localizada a 6300 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Hércules, foi resolvido.

O anel, foi primeiro registrado em 2004 ao redor da estrela TYC 2597-735-1 pela sonda Galaxy Evolution Explorer, ou GALEX da NASA, e foi chamado de Nebulosa do Anel Azul. O anel na verdade é o resultado de uma estrela gigante vermelha consumindo uma estrela companheira menor. Quando as duas estrelas se fundiram a milhares de anos atrás, elas expeliram uma nuvem de gás quente que foi cortado por um disco de gás circulando a estrela menor. Isso fez com na nuvem se formasse dois cones em direções opostas. E pelo fato de estarmos olhando de frente para o cone, observamos isso como um anel.

À medida que o gás continuou a expandir, ele varreu o gás ao redor, criando uma onda de choque que aqueceu o gás até uma temperatura alta o suficiente para que ele começasse a emitir radiação no comprimento de onda ultravioleta. Evidências dessa onda de choque foram observadas pela primeira vez em 2006 pelo Telescópio Hale no Monte Palomar e pelo Telescópio Keck no Havaí.

Normalmente quando observamos esse tipo de fusão estelar, observamos ela escondida numa espessa nuvem de poeira, mas a Nebulosa do Anel Azul nos dá uma visão rara desse processo de fusão estelar, num intervalo de tempo curto que fica entre o momento em que a poeira é varrida e a dissipação da nuvem em expansão, ou seja, os astrônomos conseguiram observar uma etapa inédita desse processo.

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .