Provável Cratera Fantasma Junto à Cratera MANILIUS na Lua

fantasma_manilus_01


observatory_150105Numa foto executada pelo Prof. Vaz Tolentino em 05? de ?fevereiro? de ?2010, às ??04:26:12, com condições atmosféricas ruins para a execução de fotos, mas devido à incidência de luz solar oblíqua favorável, foi revelado uma misteriosa formação circular, com características que indicam ser uma suposta cratera fantasma sem catalogação pela IAU (International Astronomical Union). Essa inesperada formação, quase camuflada, não se apresenta em outras fotos da mesma região feitas pelo VTOL e não está presente e nem é referenciada em nenhum mapa ou atlas lunar.

É importante observar que, em fevereiro de 2010, não existiam disponíveis para os usuários da Internet, as imagens de alta resolução do LRO QuickMap, onde podemos executar zoom, verificar os detalhes e traçar o perfil altimétrico da formação que desejamos investigar. Daí, concluimos a relevância para a época, da captura da imagem da misteriosa formação circular, feita por um telescópio baseado na Terra (foto executada com apenas 1 frame).

A publicação da foto no LPOD:

Essa foto foi executada pelo Prof. Vaz Tolentino (nessa época não existia o website VTOL) originalmente com o Norte para direita. Quando ela foi publicada em 21 de abril de 2010 no website americano LPOD (Lunar Photo Of the Day), o pessoal de lá recortou a foto original (tirando um pouco da nitidez) e posicionou o Norte para cima (http://lpod.wikispaces.com/April+21%2C+2010). Na ocasião, vendo a foto, o cientista planetário Charles A. Wood, escreveu o seguinte comentário em relação à incidência de luz solar oblíqua que revelou a misteriosa formação: “Dizem que a roupa faz o homem. Para imagens lunares, é a iluminação”.

fantasma_manilus_02


A importância das fotos executadas por telescópios baseados na Terra com luz solar oblíqua:

O satélite natural da Terra nunca deixa de encantar seus observadores, sempre apresentando feições fantásticas e grande nível de detalhamento em suas formações, constantemente revelando tesouros escondidos ao longo da lunação.

Na maioria das vezes, as sondas espaciais executam fotos do relevo lunar de preferência quando o sol está alto sobre a superfície e não conseguem captar certos detalhes presentes nas formações lunares. Isso demonstra a importância e a utilidade das selenofotografias executadas com ângulo oblíquo de luz solar, a partir de telescópios baseados na Terra. A luz do sol nascente ou poente sobre uma determinada região da Lua, promove sombras que enfatizam dramaticamente os perfis e os detalhes presentes no relevo lunar.

Dimensões da suposta cratera fantasma:

De acordo com o perfil altimétrico do LRO QuickMap da NASA, essa suposta cratera fantasma descoberta em 2010, tem diâmetro de aproximadamente 27 Km e profundidade máxima em torno de 450 m. As coordenadas selenográficas dessa interessante formação são: LAT: 15.0361o N e LON: 10.2690o E. O ponto mais profundo do piso interno da suposta cratera fantasma encontra-se do lado Oeste, junto da vizinha cratera MANILIUS (diâmetro: 38 Km, profundidade: 3,1 Km).

A suposta cratera fantasma pode ter sido inundada por lavas basálticas provenientes dos três lagos que a circundam: LACUS DOLORIS, LACUS GAUDII e LACUS LENITATIS. A formação também encontra-se suplantada por escombros, que provavelmente são oriundos do enorme impacto que criou a grande bacia do MARE IMBRIUM, somados depois, aos escombros ejetados na criação da vizinha cratera MANILIUS.

fantasma_manilus_03


Foto executada com apenas 1 frame em ?05? de ?fevereiro? de ?2010, ??04:26:12.

Não deixem de visitar o site oficial do Observatório Lunar Vaz Tolentino, onde é possível encontrar centenas de imagens da Lua, além de muitas informações sobre astronomia e ciências em geral. Visitem o remodelado site do VTOL: www.vaztolentino.com.br

Fonte:

http://www.vaztolentino.com.br/imagens/6598-Provavel-cratera-fantasma-junto-a-cratera-MANILIUS#photo_description


alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo