Poderosos Asteroides Se Chocam Com a Terra Numa Frequência Surpreendente


observatory_150105Desde o começo do século 21, dezenas de asteroides se chocaram com a Terra, alguns deles liberando mais energia  do que uma bomba atômica com a capacidade de destruir uma cidade, ilustra uma nova simulação.

A visualização foi lançada em honra ao Dia da Terra pela Fundação B612 – uma organização sem fins lucrativos que caça asteroides e que foi fundada por astronautas da NASA – para destacar a frequência alarmante com a qual ocorrem essas colisões extraterrestres.

O vídeo acima, é baseado em novos dados de uma rede de sensores ao redor do mundo que é desenhado para detectar detonações nucleares e é operada pela Nuclear Test Ban Treaty Organization. Entre os anos de 2000 e 2013, esses instrumentos detectaram 26 explosões no planeta com energia variando entre 1 a 600 kilotons, todas elas causadas por impactos de asteroides, dizem os oficiais da Fundação B612. Para se ter uma base de comparação, a bomba nuclear que explodiu em Hiroshima em 1954 tinha uma energia de 15 kilotons.

Muitas dessas colisões de asteroides não foram notadas pois as explosões ocorreram muito alto na atmosfera para causar algum estrago no solo. Além disso, esses impactos ocorreram com maior frequência sobre partes remotas do oceano. Mas como mostra a animação, algumas vezes, colisões poderosas ocorrem sobre uma área altamente povoada por humanos. Um ponto vermelho marcante sobre Chelyabinsk, na Rússia, mostra o impacto de meteoro de 600 kilotons que ocorreu em 15 de Fevereiro de 2013, danificando centenas de prédios e machucando mais de 1000 pessoas.

Com o vídeo, a Fundação B612 espera despertar o interesse de todos sobre o por que da necessidade de instalação de sistemas de caça de asteroides e de vigília do céu.

“Enquanto a maior parte dos asteroides com o potencial para destruir um país inteiro ou um continente têm sido detectados, menos de 10000 dos mais de um milhão de perigosos asteroides com potencial para destruir uma região metropolitana inteira têm sido encontrado por todos os sistemas de monitoramento existentes tanto no espaço como na Terra”, disse o ex-astronauta da NASA Ed Lu, fundou a Fundação B612 em 2002, com outro astronauta, o Rusty Schweickart e outros colegas. “Pelo fato de não sabermos onde e quando o próximo grande impacto acontecerá, a única coisa de prever uma catástrofe que pode acabar com uma cidade é a sorte”.

O vídeo foi apresentado numa conferência de imprensa acontecida, nessa terça-feira, dia 22 de Abril de 2014 no Museum of Flight de Seattle por Lu e dois de seus companheiros: Tom Jones, Presidente da Association of Space Explorers e Bill Anders, que voou na Apollo 8 e que foi da comissão Nuclear Regulatory Commission.

A Fundação B612 está tentando construir um telescópio privado infravermelho espacial para descobrir os asteroides perigosos quando eles estiverem ainda a milhões de quilômetros de distância da Terra. Essa missão, chamada de Sentinel Space Telescope daria aos humanos, anos para poderem montar um plano para defletir o asteroide, evacuar cidades, ou tomar qualquer atitude. A organização tem como objetivo lançar o telescópio em 2018.

Fonte:

http://www.space.com/25590-asteroid-impacts-earth-day-b612-video.html


alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.