fbpx

PLUTÃO – OCEANO, AMÔNIA E CRIOVULCANISMO | SPACE TODAY TV EP.1841

SPACE TODAY STORE:

https://www.spacetodaystore.com

——————————————————————————-

Para fazer parte do seleto grupo dos apoiadores!!!

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

——————————————————————————-

Quando a sonda New Horizons passou por Plutão, óbvio que a região que mais chamou a atenção de todos, foi o coração no meio do planeta anão.

Porém, quem é geólogo, ou gosta de geologia e começa a analisar as imagens com mais detalhes, descobre outras coisas bem interessantes em Plutão.

O planeta anão possui uma série de falhas, e fraturas que cortam a sua superfície, falhas bem extensas e bem abertas, como se fossem cicatrizes na superfície do objeto.

Além disso, quando foram disponibilizadas as imagens coloridas, algumas dessas regiões chamaram mais ainda a atenção, devido à coloração bem avermelhada.

Uma dessas regiões é conhecida como Virgil Fossae que tem perto uma grande cratera, conhecida como Cratera Elliot.

Quando os pesquisadores fizeram a análise espectral dessa região, descobriram algo interessante.

Amônia, NH3 na superfície de Plutão.

Isso é bem surpreendente, encontrar amônia na superfície de um corpo planetário, pois devido a interação com raios cósmicos e com a radiação ultravioleta, a amônia não dura muito tempo na superfície.

Então como Plutão teria essa amônia na sua superfície?

A melhor explicação é que Plutão realmente tenha um oceano de água líquida na subsuperfície.

E que também tenha tido criovulcanismo.

Assim, através do criovulcanismo, a água misturada com a amônia seria retirada da subsuperfície, os criovulcões fariam o trabalho de espalhar pela região da Virgil Fossae.

A água misturada com a amônia, pode também ter saído do oceano, por meio de fraturas, e através dessas falhas gigantescas ter se espalhado pela região.

Pela natureza da am6onia, como já falei, que não dura muito tempo na superfície, esses eventos podem ter sido recentes na escala geológica de Plutão.

Muitos perguntam como Plutão, pode ter água líquida no seu interior.

Uma das características é o decaimento radioativo do seu núcleo, que mantém o interior quente, e a outra característica é o isolamento gasoso que existe no topo, como mostrei no vídeo anterior.

Esse estudo é muito interessante, pois mostra que Plutão teve criovulcanismo recente e que muito provavelmente possui sim, um oceano líquido contendo uma mistura de água e amônia.

Plutão, um dos objetos mais complexos e interessantes do nosso sistema solar.

#Plutao #Amonia

Fontes:

https://phys.org/news/2019-05-ammonia-surface-pluto-hints-subterranean.html

https://advances.sciencemag.org/content/advances/5/5/eaav5731.full.pdf

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo