fbpx

Pesquisadores Criam Banco de Dados Com 15000 Tempestades de Poeira Em Marte

Os dados no mundo da astronomia estão espalhados por aí, existem muitos arquivos, para cada instrumento que coleta um determinado tipo de dado, para cada sonda espacial, para cada telescópio, cada projeto e assim vai. Algumas vezes é interessante integrar todas essas informações para se ter uma ideia, um contexto do que se está estudando e até mesmo para se poder revisitar dados antigos e ali se ter novas ideias sobre o fenômeno estudado. Imagina quando falamos de um planeta como Marte, onde queremos explorar um dia, colonizar quem sabe e até mesmo terraformar, então é muito interessante ter todas as informações sobre Marte reunidas, para entender o que acontece com o planeta. E uma das coisas que acontece em Marte e que mais pode influenciar a ida do ser humano para lá, são as famosas tempestades de poeira. Então para entender esse intrigante fenômeno da atmosfera de Marte, os cientistas do Harvard Center for Astrophysics conseguiram coletar e analisar dados de quase 15 mil tempestades de poeira em Marte, que aconteceram nos últimos 8 anos.

Os dados usados para construir essa incrível base de dados foram coletados pelas sondas Mars Global Surveyor e pela Mars Reconnaissance Orbiter, que fazem imagens de Marte diariamente de toda a superfície do planeta. O banco de dados resultante dessa análise é o chamado Mars Dust Activity Database, ou MDAD, e que fornece uma série de ideias e algumas características sobre as tempestades de poeira que ocorrem regularmente em Marte.

Para que uma tempestade de poeira seja qualificada para entrar na base de dados ela precisa cobrir mais de 100 mil quilômetros quadrados da superfície do planeta, e ser visível por mais de um dia marciano. A maior parte das 15000 tempestades, foram eventos isolados. Contudo, a equipe de cientistas também conseguiu definir a atividade de tempestades mais coesivas.

Um tipo de um evento maior foi definido pelos cientistas como uma sequência de tempestades de poeira, onde uma coleção de membros de tempestades viaja aproximadamente na mesma direção sobre a superfície por mais de 3 dias marcianos. Os cientistas encontraram 228 desses eventos e notaram que eles poderiam ser agrupados em 3 diferentes categorias, dependendo do tamanho, e quantidade de componentes menores de tempestades que os formavam.

Se uma determinada quantidade de tempestades menores de poeira são combinadas elas potencialmente podem impactar o clima marciano. Esses grandes eventos acabavam cobrindo 10 milhões de quilômetros quadrados da superfície marciana. Muitos desses grandes eventos criaram tempestades que tiveram atividade por dias em Marte, e em alguns casos a atividade chegou a semanas. Os cientistas conseguiram detector 43 desses grandes eventos em Marte, e descobriram também que eles foram a causa de muitas mudanças observadas na atmosfera do planeta.

Talvez, o mais importante de todo esse trabalho seja a criação da própria base de dados MDAD, que irá servir no futuro para outros pesquisadores acessarem os dados, atualizarem a base de dados e continuarem estudando o Planeta Vermelho. Pode ser também que novas descobertas aconteçam graças a essa bela base de dados construída.

Fonte:

https://www.universetoday.com/150147/a-combined-map-of-almost-15000-dust-storms-on-mars/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .