fbpx

Pequeno Asteroide Descoberto no Sábado (2 de Junho) Se Desintegra na Atmosfera Horas Depois

Um asteroide do tamanho de um pedaço de rocha designado de 2018 LA foi descoberto na manhã de sábado, dia 2 de Junho de 2018, e foi determinado que ele estava em curso de colisão com a Terra, com o impacto devendo acontecer poucas horas depois da descoberta. Devido a isso, o apagado asteroide foi estimado tendo somente 2 metros de diâmetro, pequeno o suficiente para se desintegrar totalmente na atmosfera da Terra. O asteroide de sábado foi o primeiro descoberto pelo Catalina Sky Survey financiada pela NASA, localizada perto de Tucson e operada pela Universidade do Arizona.

Embora não exista dado de rastreio suficiente para fazer previsões precisas, com um tempo grande antes do impacto, alguns locais foram determinados como possíveis locais de queda do asteroide, como a África do Sul, o Oceano Índico, e na Nova Guiné. Foram relatadas bolas de fogo nos céus de Botswana, África, no noite de sábado, que se ajustava com as previsões feitas. O asteroide entrou na atmosfera da Terra a uma velocidade de 10 km/s, `as 13:44 hora de Brasília, 18:44 hora local em Botswana, e se desintegrou alguns quilômetros acima da superfície, criando uma brilhante fireball, que iluminou os céus. O evento foi testemunhado por muitos observadores e foi registrado em vídeo, no final do post.

Quando foi detectado pela primeira vez, o asteroide estava a uma distância equivalente à distância da Terra a Lua, embora isso não se sabia no começo. O asteroide apareceu como um rastro numa série de imagens de longa exposição feitas pelo telescópio Catalina. Como é de praxe para todos os projetos do mundo que caçam asteroides, os dados foram rapidamente enviados para o Minor Planet Center em Cambridge, Massachusetts, que então calculou a sua trajetória preliminar, indicando um possível impacto com a Terra. Os dados foram por sua vez enviados para o Center for Near-Earth Object Studies, o CNEOS, no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, na Califórnia, onde o sistema automático Scout também encontrou uma grande probabilidade de impacto na trajetória do asteroide. Alertas automáticos foram enviados para a comunidade de observadores de asteroide para que se pudesse obter mais informações e mais observações, e para o Planetary Defense Coordination Office na sede da NASA em Washington. Contudo, como o tamanho do asteroide foi calculado como sendo bem pequeno nenhum outro tipo de alerta foi emitido pela NASA.

“Esse é um objeto muito menor do que nós costumamos detectar e emitir alertas”, disse Lindley Johnson, Panetary Defense Officer na sede da NASA. “Contudo, esse evento do mundo real nos permite exercitar nossas capacidades e nos dá a confiança que os nossos modelos de previsão de impacto estão adequados e respondendo a um potencial impacto de um objeto maior”.

O projeto de pesquisa de asteroides ATLAS obteve duas observações adicionais horas antes do impacto, que foram usadas pelo Scout para confirmar que o impacto iria ocorrer, e para definir com maior precisão o local do impacto, na parte sul da África. Dados de infrassom coletados logo depois do impacto claramente detectaram o evento de uma das estações de escuta que fazem parte do International Monitoring System of the Comprehensive Nuclear-Test-Ban Treaty. O sinal é consistente com o impacto atmosférico sobre Botswana.

“A descoberta do asteroide 2019 LA representou somente a terceira vez que um asteroide foi descoberto em trajetória de impacto com a Terra”, disse Paul Chodas, gerente do Center for Near-Earth Object Studies, o CNEOS no JPL. “Essa foi também somente a segunda vez que a localização do impacto foi prevista antes do evento”.

O primeiro evento desse tipo foi o impacto do asteroide 2008 TC3, que iluminou os céus do Sudão do Norte em 7 de Outubro de 2008. Esse foi um asteroide um pouco maior com 4 metros de diâmetro, e foi descoberto 19 horas antes do impacto, permitindo que um grande número de observações subsequentes e que uma trajetória bem precisa fosse calculada. O segundo impacto previsto de um asteroide foi o 2014 AA, que foi descoberto poucas horas antes do impacto em 1 de Janeiro de 2014, no Oceano Atlântico, deixando pouco tempo para observações subsequentes. O Catalina Sky Survey foi o responsável pela descoberta dos três pequenos asteroides com trajetória de impacto com a Terra, e todas as descobertas foram feitas pelo mesmo observador, Richard Kowalski.

O Planetary Defense Coordination Office da NASA é responsável por encontrar, rastrear e caracterizar asteroides potencialmente perigosos e cometas perto da Terra, emitir alertas sobre possíveis impactos, e ajudar na coordenação junto ao governo norte-americano de um planejamento de resposta. O JPL abriga o Center for Near-Earth Object Studies para o Near-Earth Object Observations Program da NASA, um elemento do Planetary Defense Coordination Office , dentro do Science Mission Directorate da agência.

Para mais informações sobre o Planetary Defense Coordination Office, da NASA, visite:

https://www.nasa.gov/planetarydefense

Mais informações sobre asteroides e objetos próximos da Terra, os NEOs, podem ser encontradas em:

https://cneos.jpl.nasa.gov

https://www.jpl.nasa.gov/asteroidwatch

Para receber atualizações e notícias sobre asteroides e cometas, siga o AsteroidWatch, no Twitter:

twitter.com/AsteroidWatch

Texto no site da BRAMON sobre o impacto do 2018 LA:

http://www.bramonmeteor.org/bramon/asteroide-recem-descoberto-teria-atingido-a-terra-nesse-dia-02/

Fonte:

https://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?feature=7148

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.