fbpx

Observando Através do Aglomerado de Galáxias Abell 68

Hubble image of Abell 68

observatory_150105Você quer usar um aglomerado de galáxias como um telescópio? É mais fácil do que você possa pensar já que aglomerados de galáxias distantes agem como naturalmente como fortes lentes gravitacionais. De acordo com a teoria geral da relatividade de Albert Einstein, a massa gravitacional de um aglomerado, dominada pela matéria escura, curva a luz e cria imagens ampliadas e distorcidas de galáxias de fundo ainda mais distantes. Essa imagem nítida acima em infravermelho feita pelo Hubble ilustra o caso de se usar o aglomerado de galáxias Abell 68 como um telescópio gravitacional, e que foi explorada pelo astrônomo amador Nick Rose, durante a competição de processamento de imagem realizada pela ESA e conhecida como Hubble Hidden Treasures. Na imagem abaixo, temos as marcações que definem as principais feições observadas na imagem. Os números 1 e 2 mostram duas imagens amplificadas da mesma galáxia de fundo. A galáxia distorcida em 2 lembra a forma da criatura usada por um antigo videogame num jogo chamado de Space Invaders. O número 3 marca um membro do aglomerado de galáxias, que não foi amplificado gravitacionalmente, e que teve seu conteúdo de gás arrancado enquanto ele vagava através do meio intergaláctico mais denso. O número 4 inclui muitas galáxias de fundo imageadas como feixes alongados e arqueados. O aglomerado Abell 68 está a uma distância aproximada de 2.1 bilhões de anos na direção da constelação de Vulpecula. A região central do aglomerado coberta nessa imagem do Hubble se espalha por aproximadamente 1.2 milhões de anos-luz.

abell_68_labeled

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap130308.html

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo