O Tamanho das Estrelas

O tamanho das estrelas é algo muito variável, vai desde 0.01 massas solares até 100 ou 150 vezes a massa do Sol.

Não existem estrelas fora desses limites, e por que?

Primeiro não se deve confundir massa com o diâmetro. As estrelas mudam de tamanho continuamente durante a sua vida, mas não a massa. A massa é perdida lentamente pelo mesmo processo de mecanismo estelar.

O diâmetro altera de forma permanente. Nosso  Sol, por exemplo, em cinco mil milhões de anos terá menos massa embora seu diâmetro ainda seja gigante.

O vídeo abaixo mostra os diâmetros das estrelas, começando pelo planetas como referência.

[youtube width=”800″ height=”666″] http://www.youtube.com/watch?v=L2ie5AEcWck [/youtube]

É um pouco mais fácil de entender porque no existem estrelas menores que 0.01 massas solares.

A formação das estrelas dependem do gás que se contrai. Quanto mais massa se tem a nuvem formadora de estrela, mais ela é aquecida, porque a pressão aumenta.

Quando no interior do objetos a temperatura de onze milhões de graus é superada, começam as reações termonucleares que dão vida as estrelas. Assim ela nasce.

Mas se a estrela está abaixo desse limite, sua temperatura sobe muito, mas as reações termonucleares não começam.

Em outras palavras, se a estrela tem menos de 0.01 massas solares, não se alcança a temperatura interna para se ter reações termonucleares e a estrela não nasce.

Mas o embrião da estrela falida, agora não é uma estrela, tão pouco um planeta, mas sim um objeto novo, uma anã marrom.

As estrelas mais massivas que chegam a se inflamar são as super quentes.

Essas estrelas são do espectro O, B e as mais quentes, Wolf-Rayer (WR).

As estrelas do tipo WR, em temperaturas da ordem de 50 a 60 mil graus e a pressão de radiação é tão forte, que tem grandes nebulosas ao seu redor, que são restos da mesma estrela que perdeu uma parte de sua massa.

Se uma estrela supera as 100/150 massas solares, a pressão de radiação é tão forte que ela se desintegra.

Esse limite superior, todavia está em discussão, porque se estão encontrando estrelas mais massivas, mas contudo essa determinação não é precisa ainda. De qualquer maneira, essas novas estrelas tem massa 300 vezes maior que a do Sol, pois mesmo assim existe um limite superior.

Fonte:

http://infobservador.blogspot.com/2011/01/el-tamano-de-las-estrellas.html

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo