O MISTÉRIO DO EXOPLANETA DESAPARECIDO | SPACE TODAY TV EP2191

VISITE A LOJA DO SPACETODAY:

https://www.spacetodaystore.com

——————————————————————–

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:

https://www.patreon.com/spacetoday

https://apoia.se/spacetoday

https://www.youtube.com/channel/UC_Fk7hHbl7vv_7K8tYqJd5A/join

——————————————————————–

No ano de 2008, os astrônomos anunciaram uma descoberta impressionante.

Usando os dados do Telescópio Espacial Hubble, de 2004 e 2006, eles observaram diretamente um exoplaneta.

Esse exoplaneta ficou conhecido como Formalhaut b.

Era incrível diferente das técnicas indiretas a gente estava ali observando diretamente um planeta, brilhante, e que seguia uma órbita elíptica ao redor da sua estrela.

Em imagens posteriores do Hubble, os astrônomos conseguiram detectar o movimento do exoplaneta, que fica localizado a apenas 25 anos-luz de distância da Terra.

Estava tudo perfeito, e o sistema de Formalhaut passava a ser um belo laboratório para podermos estudar a evolução de um sistema planetário.

Mas aí, em 2014, quando fizeram uma nova imagem do sistema Formalhaut, os astrônomos tiveram uma surpresa muito desagradável.

O planeta não estava mais lá, havia desaparecido.

O que teria acontecido com o exoplaneta?

Os astrônomos então bolaram uma explicação.

O Formalhaut b, na verdade não era um exoplaneta, ele era uma nuvem de material em expansão gerada pela colisão de dois grandes objetos na órbita da estrela Formalhaut.

Os astrônomos acreditam que essa colisão deva ter acontecido não muito antes de 2004, e agora a nuvem de partículas de poeira está fora do limite de detecção do Hubble.

Outra coisa, essa nuvem não está em órbita elíptica, ela está sim numa órbita hiperbólica e devido às grandes forças que deve ter experimentado quando passou perto da estrela ela está sendo ejetada do sistema.

De acordo com o cálculo feito pelos astrônomos os objetos que colidiram deveriam ter aproximadamente 200 km de diâmetro e em Formalhaut deve ocorrer uma colisão dessa a cada 200 mil anos.

Isso quer dizer que os astrônomos conseguiram ver o resultado de um fenômeno muito raro observado pelo Hubble.

A ideia como vocês já sabem é observar o sistema com o James Webb para tentar ver essa nuvem melhor, pode ser que o James Webb consiga.

E uma questão interessante que acho que pode ser levantada, esse tipo de colisão poderia produzir um objeto interestelar que nos visite daqui a alguns milhares de anos?

O importante é que Formalhaut continua sendo um excelente laboratório onde os astrônomos podem estudar toda a dinâmica que acontece em um sistema planetário em formação.

Fontes:

https://www.spacetelescope.org/news/heic2006/?lang

#FORMALHAUTB #EXOPLANET #SPACETODAY

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo