fbpx

O ESO Vai Construir o Maior Olho no Céu do Mundo

Impressão artística do European Extremely Large Telescope (E-ELT) na sua cúpula no Cerro Armazones, o topo de uma montanha a 3060 metros de altitude no deserto do Atacama do Chile. O E-ELT de 39,3 metros será o maior telescópio óptico/infravermelho do mundo - o maior olho no céu do mundo. Espera-se que comece as operações no início da próxima década. O E-ELT irá investigar os maiores desafios científicos do nosso tempo. Crédito: ESO/L. Calçada

O ESO vai construir o maior telescópio óptico/infravermelho do mundo. O Conselho do ESO aprovou na reunião de hoje em Garching, o Programa European Extremely Large Telescope (E-ELT), sujeito a confirmação de quatro votos ad referendum. O E-ELT começará as operações no início da próxima década.

O órgão governativo do ESO, o Conselho, reuniu-se hoje na Sede do ESO em Garching, na Alemanha. O principal assunto da agenda foi o começo do Programa European Extremely Large Telescope (E-ELT) – o maior olho no céu do mundo. O E-ELT vai ser um telescópio com um espelho segmentado de 39,3 metros de diâmetro situado no Cerro Armazones no norte do Chile, próximo do Observatório do Paranal do ESO.

Todos os países membros do ESO tinham já demonstrado um forte interesse no projeto E-ELT (ver eso1150). O Conselho votou hoje a favor de uma resolução para a aprovação do E-ELT e a primeira geração de instrumentos, estando apenas pendente a confirmação dos chamados votos ad referendum.

Para que o início do programa fosse aprovado, dois terços dos países membros (portanto, pelo menos dez) tinham que votar a favor. Na reunião do Conselho a Áustria, a República Checa, a Alemanha, a Holanda, a Suécia e a Suíça votaram a favor do início do programa E-ELT. Quatro outros países votaram a favor ad referendum: a Bélgica, a Finlândia, a Itália e o Reino Unido. Os restantes quatro países membros estão a trabalhar ativamente para se juntarem ao programa num futuro próximo.

Impressão artística do European Extremely Large Telescope (E-ELT) de noite durante as observações. O E-ELT de 39,3 metros será o maior telescópio óptico/infravermelho do mundo - o maior olho no céu do mundo. Espera-se que comece as operações no início da próxima década. O E-ELT irá investigar os maiores desafios científicos do nosso tempo. Crédito: ESO/L. Calçada

No seguimento desta resolução, gastos em elementos do projeto para além das obras de construção civil iniciais não começarão antes que as contribuições prometidas pelos estados membros, tal como decidido nos princípios de financiamento aprovados pelo Conselho no final de 2011, excedam os 90% dos 1083 milhões de euros correspondentes ao custo do projeto completo (valores relativos a 2012).

O atual calendário prevê que os primeiros grandes contratos industriais para o E-ELT sejam aprovados e que o principal financiamento esteja confirmado dentro do próximo ano. Espera-se deste modo dar tempo suficiente para que todas as condições necessárias à realização do projeto sejam satisfeitas: as confirmações dos votos da Bélgica, Finlândia, Itália e Reino Unido; que outros estados membros se juntem ao projeto; e que o Brasil complete o seu processo de ratificação de adesão ao ESO.

Impressão artística do European Extremely Large Telescope (E-ELT) na sua cúpula no Cerro Armazones, o topo de uma montanha a 3060 metros de altitude no deserto do Atacama do Chile. O E-ELT de 39,3 metros será o maior telescópio óptico/infravermelho do mundo - o maior olho no céu do mundo. Espera-se que comece as operações no início da próxima década. O E-ELT irá investigar os maiores desafios científicos do nosso tempo. Crédito: ESO/L. Calçada

“Este foi um excelente resultado e um grande dia para o ESO. Podemos agora avançar no calendário deste grande projeto,” disse o Diretor Geral do ESO, Tim de Zeeuw.

Contratos iniciais para o projeto foram já assinados. Pouco antes da reunião do Conselho, foi assinado um contrato para o começo de um estudo detalhado da concepção do espelho adaptativo do telescópio M4. Este é um dos elementos de concepção mais demorada de todo o programa E-ELT e por isso um começo imediato era essencial. Para mais informações sobre este aspecto ver ann12032.

Esta fotografia foi tirada na Sede do ESO em Garching durante a reunião histórica do Conselho de 11-12 de Junho de 2012 quando o programa E-ELT foi aprovado (sujeito a confirmação dos chamados votos ad referendum). Para uma olhadela ao passado comprare esta fotografia com a do Conselho aquando da aprovação do VLT em Dezembro de 1987. Crédito: ESO

O trabalho de concepção detalhada para a estrada que levará ao topo do Cerro Armazones, onde o E-ELT ficará situado, está também em progresso e espera-se que alguns dos projetos de construção para o E-ELT comecem ainda este ano. Estes projetos incluem preparação para a estrada de acesso ao topo do Cerro Armazones assim como o aplanamento do cume do Cerro propriamente dito.

“O E-ELT manterá o ESO numa posição líder durante as próximas décadas e levará a uma extraordinária colheita de ciência,” concluiu o Presidente do Conselho Xavier Barcons.


Fonte:

http://www.eso.org/public/brazil/news/eso1225/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .