NGC 6302: A Nebulosa da Borboleta

butterfly_hst_big

observatory_150105Os brilhantes aglomerados e nebulosas no céu noturno do planeta Terra, são na maioria das vezes nomeados com designações de flores e insetos. Apesar de sua envergadura cobrir mais de 3 anos-luz, a NGC 6302, não é uma exceção. Com uma temperatura superficial estimada de aproximadamente 250000 graus Celsius, a estrela central morta dessa particular nebulosa planetária tem se tornado excepcionalmente quente, brilhando de forma intensa na luz ultravioleta mas escondida da observação direta por um denso toro de poeira. Essa nítida e detalhada imagem da nebulosa da estrela morta foi registrada em 2009 pela Wide Field Camera 3 do Telescópio Espacial Hubble, instalado durante a missão de serviço do ônibus espacial. Cortando através de uma brilhante cavidade de gás ionizado, o toro de poeira ao redor da estrela central está perto do centro da imagem, quase que totalmente de lado com a linha de visada. Hidrogênio molecular tem sido identificado na quente mortalha cósmica empoeirada da estrela quente. A NGC 6302 localiza-se a aproximadamente 4000 anos-luz de distância da Terra, na aracnologicamente correta constelação de Escorpião, Scorpius.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap130607.html

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo