fbpx

NGC 1277: Uma Relíquia do Universo Primordial

Essa bela cena registrada pelo Hubble, com um conjunto de galáxias brilhantes, tem algo realmente impressionante em seu centro: uma relíquia intocável do universo primordial. Essa relíquia está no centro do frame, e é a galáxia, chamada de NGC 1277. Essa galáxia faz parte do famoso Aglomerado de Galáxias Perseus, um dos objetos mais massivos do universo conhecido, localizado a cerca de 220 milhões de anos-luz de distância da Terra.

A NGC 1277 tem sido chamada de uma relíquia do universo primordial, pois todas as suas estrelas parecem ter se formado a cerca de 12 bilhões de anos atrás. Só para lembrar, o Big Bang, deve ter acontecido a cerca de 13.8 bilhões de anos atrás. Preenchida com bilhões de velhas estrelas ricas em metal, essa galáxia é também o lar para muitos antigos aglomerados globulares: conjuntos esféricos de estrelas que orbitam a galáxia como satélites. De forma única, os antigos aglomerados globulares da NGC 1277 são na sua maior parte vermelhos e ricos em metais, bem diferentes dos aglomerados globulares azuis e pobre em metal, que normalmente são encontrados ao redor de galáxias com o mesmo tamanho. Em astronomia, um metal é qualquer elemento mais pesado que o hidrogênio e hélio, esses elementos mais pesados são fundidos no centro quente estrelas massivas e espalhados pelo universo quando essas estrelas explodem. Dessa maneira, o conteúdo de metal de uma estrela, está relacionado com a sua idade: estrelas formadas tardiamente contêm quantidades maiores de material rico em metal, já que gerações prévias de estrelas enrriqueceram o cosmos com esse tipo de material.

As galáxias massivas, e seus aglomerados globulares, são formados em duas fases: primeiro vem um colapso primordial acompanhado por uma grande explosão de formação de estrelas, que formam aglomerados vermelhos, ricos em metal, depois existe uma acumulação tardia de material, que traz o material mais azulado pobre em metal. A descoberta dos aglomerados vermelhos da NGC 1277 confirma que a galáxia é genuinamente antiga e que passou a segunda fase, isso levanta importantes questões para os astrônomos sobre como as galáxias se formam e se desenvolvem, um tópico muito atual que é debatido na astronomia moderna.

Fonte:

http://spacetelescope.org/images/potw1812a/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.