NASA Cria Primeiro Mapa Global de Florestas Usando Tecnologia Laser

Cientistas, usando três satélites da NASA, criaram a primeiro mapa detalhado sobre a altura das florestas no mundo todo.

Os dados foram coletados pelos satélite ICESat, Terra e Aqua da NASA. Os últimos dois satélites foram responsáveis por todo o monitoramento da mancha de óleo no acidente no Golfo do México. Os dados coletados irão ajudar os cientistas a entender como as florestas do mundo armazenam e processo o carbono. Embora existam muitos mapas locais e regionais esse é o primeiro mapa global que utiliza uma única metodologia para ser gerado.

A tecnologia laser chamada de LIDAR foi usada para registrar os dados. Ela é capaz de fazer fatias verticais das feições da superfície. Ela mede a cobertura da floresta atirando pulsos de luz na superfície e observando o tempo que esse pulso leva para retornar em comparação com o tempo registrado até o topo da árvore.

“O LIDAR é instrumento que não tem paralelos para esse tipo de medida”, disse Micahel Lefky da Colorado State University, responsável por registrar os dados. Ele explica que levaria semanas para obter dados em campo e com o LIDAR ele pode obter esses dados em segundos.

O mapa é baseado em dados de mais de 250 milhões de pulsos de laser coletados nos últimos 7 anos.

O novo mapa confirma que as florestas mais altas do mundo estão aglomeradas no Noroeste Pacífico da América do Norte e em algumas partes do Sudeste da Ásia. Florestas temperadas de coníferas – que são úmidas e refugiadas como árvore Douglas, pinheiro canadense, sequóia canadense e sequóias – possuem uma cobertura mais alta, com mais de 131 pés de altura. Florestas tropicais não perturbadas possuem uma altura de 82 pés, sendo que árvores como carvalhos e betulas possuem a mesma altura.

“O que nós realmente queremos é um mapa do nível acima da biomassa e a altura nos ajuda com isso”, disse Richard Hougton, especialista em ciências de ecosistemas terrestres.

Mas é sobre o carbono? O seres humanos lançam mais de 7 bilhões de toneladas de carbono todo o ano. A atmosfera fica responsável por absorver a maior parte desse carbono, aproximadamente 3 bilhões de toneladas, enquanto que os oceanos absorvem cerca de 2 bilhões de toneladas. Mas os cientistas estão preocupados é com os 2 bilhões de toneladas restantes, para onde vão. Eles suspeitam que as florestas absorvem esse carbono através da fotossíntese sendo que florestas mais jovens absorvem mais do que florestas mais velhas.

Com certeza, nós podemos especular o que esse tipo de mapa pode nos dizer sobre as mudanças climáticas. Mas como Lefsky ressalta, “Isso é na verdade um primeiro rascunho”.

Fonte:

http://www.treehugger.com/files/2010/07/nasa-creates-worlds-first-global-forest-map-using-lasers.php

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo