fbpx

Matéria Escura Descoberta. Será?

No dia 9 de dezembro de 2009, os rumores invadiram os blogs especializados com a notícia de que um grupo de físicos finalmente detectaram partículas provenientes da matéria escura, a “coisa” misteriosa parecida com a gravidade e que mantém as galáxias e todo o universo unido. Se esses rumores forem verdadeiros, a descoberta seria com certeza a mais importante de todos os tempos. Mas não comprem passagens para Estocolmo ainda. Isso porque a mesma equipe de físicos previamente publicou resultados negativos e de acordo com outros cientistas o aumento relativamente modesto do conjunto de dados desde então não possui significado estatístico importante, ou seja, não são suficientes para comprovar a existência da matéria escura.

Os rumores foram centralizados no Cryogenic Dark Matter Search (CDMS), um pequeno conjunto de detectores de partículas, enterrado na Mina Soudan em Minesota. Os detectores consistem de fatias de semicondutores de germânio e silicone e são desenhados para detectar as chamadas Partículas Massivas de Interação Fraca, ou em inglês WIMPs. Acredita-se que são essas as partículas que formam a matéria escura. De acordo com alguns posts em blogs que seguem o mundo da física, a equipe do CDM relatou que essas partículas foram detectadas no núcleo das fatias criando sinais elétricos e térmicos característicos. Para detectar e distinguir esses sinais, os físicos precisam ter um grande trabalho com eventos tradicionais como a detecção de nêutrons e outras partículas que normalmente atingem os detectores. Com isso eles conseguem definir um background, onde a detecção das WIMPs se torna mais fácil.

Em janeiro último, todavia, os pesquisadores do CDMs também publicaram resultados que foram coletados pelos detectores de outubro de 2006 até julho de 2007, e nesses resultados não foi identificado nenhum indicio das WIMPs. Assim, outros pesquisadores dizem que desde a publicação desses resultados, a equipe do CDM obteve dados significantes somente para dobrar a sensibilidade dos equipamentos e das análises. Desse modo os pesquisadores provavelmente não tiveram um sinal tão claro das partículas de interesse, a não ser mais alguns eventos tradicionais que podem ser usados para aprimorar a definição do background. Não é necessário sorte para ver um evento desses, o que se precisa é aprimorar a sensibilidade, resultado esse que só é conseguido quando se multiplica por 10 a quantidade de informação que eles têm.

Mesmo assim, os pesquisadores defendem que a pesquisa pela busca da matéria escura é valida, e que todos os esforços serão recompensados em poucos anos. Visto por esse lado o anuncio da equipe do CDM pode ser interpretado como o início de novas observações. Porém, será necessária a obtenção de resultados conclusivos para convencer toda a comunidade científica de que a matéria escura realmente existe.

Rumores dizem que os detectores do CDM (acima) identificaram as partículas da matéria escura.
Rumores dizem que os detectores do CDM (acima) identificaram as partículas da matéria escura.

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .