fbpx

Mais Auroras na Noruega


Elétrons da cauda magnética da Terra do lado noturno produzem essa maravilha da natureza, as auroras. As partículas que preenchem a nossa magnetosfera são provenientes do Sol, elas normalmente tem energia muito baixa para produzirem auroras brilhantes como essa. Então algum fenômeno deve ocorrer para que as auroras apareçam.

Os elétrons presentes na cauda magnética da Terra são aceleradas para baixo em direção a uma região oval nos polos da Terra atingindo energias de 1 – 100 KeV. Assim, elas colidem excitando os átomos de oxigênio e nitrogênio presentes na atmosfera superior da Terra. Os átomos excitados normalmente perdem energia em colisões, mas essa perda é tão pouco freqüente de acontecer nas altas altitudes que a radioatividade gerada nessa não excitação geram as condições necessárias para a produção das auroras.

As auroras na cor verde são geradas a partir dos átomos de oxigênio que são excitados (0 1S para 1D) entre 100 e 150 km de altura. O brilho vermelho das auroras é originado de diferentes estados de excitação dos átomos de oxigênio (0 1D para o estado 3P) e ocorre acima dos 150 km de altura.

Aurora Borealis in Finnish Lapland 2011 from Flatlight Films on Vimeo.

Fonte:

http://www.atoptics.co.uk/fz686.htm


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .