fbpx

Imagens da Sonda LROC Proporcionam Estudo Detalhado da Cratera Atlas na Lua


A cratera de interior fraturado Atlas, localiza-se nas coordenadas 46.7?N, 44.4?E e tem 87 quilômetros de diâmetro. A causa das fraturas que cortam o interior da cratera é algo ainda não muito bem entendido. Acredita-se que essas fraturas tenham um interior largo e plano, como um vale, ou graben e que elas registram um período de soerguimento do interior da cratera. A questão é, o que causou esse soerguimento? Crateras com o interior fraturado são feições lunares conhecidas desde os dias das antigas sondas Lunar Orbiters, mas com as imagens detalhadas da LROC, os geólogos estão trabalhando para melhor entender como elas se formaram. As imagens da câmera NAC da sonda LROC permitem observar o interior das fraturas e então com imagens estereográficas é possível medir suas formas.

Após o impacto que criou a cratera Atlas, o interior da cratera ficou derretido. Enquanto ele esfriava, o interior sólido se formou. No caso da Atlas, um eventual soerguimento fez com que o seu interior se quebrasse e se dividisse, formando graben ou fraturas. Existem duas teorias para a causa do soerguimento. Uma possibilidade é o vagaroso reajuste da crosta após o impacto que formou a cratera. Durante um impacto, a energia lançada comprimiu a crosta. Contudo, com o passar do tempo a crosta pode ter retornado para a sua posição original. Esse movimento de rebatida supriria o soerguimento que formou então as fraturas no interior da cratera Atlas. Uma segunda possibilidade é que as fraturas podem ter surgido devido a uma intrusão de magma dentro da crosta abaixo da cratera, que soergueu e corrompeu o interior da cratera à medida que ele se erguia. Quando estão investigando o interior fraturado das crateras, os geólogos muitas vezes procuram por sinais de atividade vulcânica relacionada com uma intrusão de magma. Revelar a origem de feições lunares como essa na cratera Atlas é um dos objetivos principais da missão científica da LROC.


Fonte:

http://lroc.sese.asu.edu/news/index.php?/archives/446-Atlas.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .