Imagem em Infravermelho do Instrumento ASTER do Satélite Terra Revela a Passagem do Tornado Moore

753638main_oklahoma_trail_cropped_946-710

observatory_150105No dia 20 de Maio de 2013, a região central do estado norte-americano de Oklahoma foi devastada por um tornado EF-5, o mais forte na escala Fujita que mede a intensidade desses fenômenos. O tornado, conhecido como de Newcastle-Moore, matou no mínimo 24 pessoas, feriu 377 e afetou aproximadamente 33000 na sua passagem. As estimativas iniciais sugerem que mais houve um prejuízo de mais de 2 bilhões de dólares em danos à propriedade pública e privada, no mínimo 13000 estruturas foram destruídas ou danificadas. Esse foi o tornado mais mortal dos EUA desde um evento também EF-5 que matou 158 pessoas em Joplin, no Missouri, em 2011.

No dia 2 de Junho de 2013, o Advanced Spaceborne Thermal Emissioon and Reflection Radiometer (ASTER) no satélite Terra da NASA observou a cicatriz desse tornado em Oklahoma. Nessa imagem infravermelha colorida falsamente os comprimentos de onda das cores verde e vermelho da luz foram combinados para melhor distinguir entre água, vegetação, solo e o desenvolvimento humano. A água aparece azul. Construções e superfícies pavimentadas aparecem em cinza-azulado. A vegetação aparece em vermelho. O rastro do tornado é a faixa bege cruzando a imagem de oeste para leste, a cor revela a falta de vegetação no trajeto da tempestade.

De acordo com o National Weather Service, o tornado ficou no solo por 39 minutos, cruzou 27 quilômetros de 8 km a oeste de Newcastle até 10 km a leste de Moore, em Oklahoma. No seu pico de atividade o funil da nuvem tinha 2.1 quilômetros de largura, e os ventos alcançaram velocidades de 340 km/h.

Fonte:

http://www.nasa.gov/multimedia/imagegallery/image_feature_2524b.html

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo