fbpx

IMAGEM DE MAIS ALTA RESOLUÇÃO DE UMA MANCHA SOLAR | SPACE TODAY TV EP2374

VISITE A SPACE TODAY STORE, A PATROCINADORA OFICIAL DO CANAL SPACE TODAY:

https://spacetodaystore.com

Em janeiro de 2020, eu fiz um vídeo aqui no canal, onde trouxe para vocês, as imagens do Observatório Solar Daniel K. Inouye, que fica localizado no Havaí.

Naquela ocasião, a ideia era trazer imagens feitas da superfície solar, e que eram até então as imagens de mais alta resolução já feitas até o momento da superfície do nosso Sol.

A construção do telescópio começou lá em 2013, e ainda não está pronto, só vai ficar pronto em 2021.

Mas mesmo assim as imagens que eles está nos apresentando são incríveis.

Nós sabemos que o Sol, tem um ciclo de manchas solares, esse ciclo dura aproximadamente 11 anos, e nós acabamos de começar um novo ciclo, o chamado Ciclo 25, já estamos até vendo algumas manchas no Sol já.

Um telescópio como o Inouye será perfeito para o estudo das manchas solares graças à sua resolução incrível.

E para provar isso, lá em janeiro ainda, no dia 28 de janeiro de 2020, ele fez uma imagem de uma mancha solar, uma mancha que pertence ao ciclo anterior e não a esse ciclo.

Essa foi a primeira imagem de uma mancha solar feita pelo Inouye.

A imagem da mancha solar atingiu uma resolu~c”ao espacial 2.5 vezes maior do que a resolução conseguida anteriormente, mostrando estruturas magnéticas com 20 quilômetros de tamanho na superfície do Sol.

A imagem revela detalhes impressionantes da estrutura da mancha solar, a aparência do gás quente e frio circundando a região central é o resultado do que a convergÊncia dos campos magnéticos intensos fazem na superfície do Sol.

A concentração de campos magnéticos na região escura suprimi o calor, e essa região então é mais fria, mesmo assim a temperatura atinge os 4150 graus Celsius.

A imagem da mancha solar mede nada mais nada menos que 16 mil km, a Terra caberia tranquilamente aí dentro e isso é uma pequena parte do Sol.

É muito legal saber que estamos entrando num novo ciclo solar, e que nesse ciclo que terá o seu máximo de atividade previsto para o ano de 2025, teremos grandes ferramentas disponíveis para estudar o Sol, como o Inouye.

Entender e estudar as manchas solares é fundamental para tudo relacionado com o Sol e com o efeito do Sol na Terra.

Se um evento de explosão solar for muito intenso ele pode danificar os sistemas de comunicação e até mesmo a rede elétrica global.

O Inouye terá um trabalho magnífico em estudar os campos magnéticos do Sol, entender a sua atividade e ainda poderá ser usado de forma integrada com a Parker solar Probe, a solar Orbiter e outras ferramentas.

fontes:

https://nso.edu/press-release/inouye-solar-telescope-releases-first-image-of-a-sunspot/

https://link.springer.com/article/10.1007/s11207-020-01736-7

#SUNSPOT #INOUYE #SPACETODAY

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .