fbpx

Imagem da Câmera HiRISE Mostra Calota de Gelo de Dióxido de Carbono No Final do Verão Em Marte


Marte tem variações extremas de temperatura entre o inverno e o verão se comparado com a Terra. O planeta se esfria o suficiente para congelar o dióxido de carbono na atmosfera durante o inverno, mas o seu gelo é instável quando o verão esquenta Marte, chega a forçar a sublimação, ou seja, a passagem diretamente do estado sólido para o estado gasoso.

Apesar disso, em locais próximos do polo sul a temperatura permanece fria o suficiente para que esse gelo passe um ano acumulado no planeta e até mesmo se acumule de um ano para outro. Essa imagem mostra uma porção dessa calota de gelo permanente de dióxido de carbono. Esse pedaço de gelo tem alguns metros de espessura e é penetrado por cavidades planas mostradas aqui. As cavidades quase circulares na cratera da cena possuem 60 metros de diâmetro.

A cor distinta das paredes da cavidade se devem a uma mistura de poeira dentro do gelo. Por grande parte do ano essas paredes são cobertas com gelo brilhante, mas quando ele descongela ele mostra ele mostra a verdadeira cor no final do verão.

Fonte:

http://hirise.lpl.arizona.edu/ESP_023464_0945


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .