fbpx
27 de setembro de 2021

IC 443: Estudantes Descobrem Estrela de Nêutrons Usando Dados do Chandra e do VLA

Essa imagem do Chandra revela uma fonte pontual de raios-X mergulhada na parte remanescente da supernova IC443. Essa descoberta foi feita por três alunos do colegial que usaram os dados do Observatório de Raios-X Chandra da NASA de forma integrada com os dados do Very Large Array (VLA) da National Science Foundation. A aparência semelhante a de um cometa da nuvem de partículas de alta energia na imagem do Chandra indica que a estrela de nêutrons está se movendo através da IC 443. Como o rastro de um avião supersônico, a forma da nebulosa ao redor da estrela de nêutrons permitiu aos estudantes medirem a velocidade que ela está viajando desde a sua origem. Usando esse resultado e a distância aparente com que a estrela de nêutrons tem viajado desde o centro da parte remanescente da supernova, os estudantes calcularam que a luz da explosão inicial chegou na Terra há 30000 anos levantando uma importante questão sobre a IC 443.

A remanescente da supernova IC 443 é um objeto bem estudado. Os astrônomos têm pesquisado essa região, localizada a aproximadamente 5000 anos-luz da Terra, tentando encontrar a estrela de nêutrons criada na explosão que eles acham que deveria estar ali, julgando pelo tamanho e pela dinâmica da parte remanescente da supernova que explodiu.

Estrelas de neutros como a encontrada pela equipe NCSSM, são os membros quentes e compactos de muitas estrelas massivas que exauriram o combustível e expeliram suas conchas externas. O núcleo remanescente normalmente não tem mais que 10 milhas de diâmetro, são objetos muito densos que as vezes estão em rotação e lançam feixes de partículas ao longo de seus polos magnéticos.

As cores na imagem representam a intensidade de raios-X observados pela Chandra. As regiões que emitem mais raios-X são mostradas em branco com as regiões mais apagadas representadas pelas cores azul e verde.

Fonte:

http://chandra.si.edu/photo/2000/1083/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo