IC 348 – Um Aglomerado Aberto de Estrelas na Constelação de Perseus

IC-348

observatory_150105O IC 348, também conhecido como IC 1985 é um aglomerado aberto de estrelas com 2 milhões de anos de vida circundado por uma nebulosa de reflexão de aproximadamente 15 anos-luz de diâmetro e que está localizado a aproximadamente 1028 anos-luz de distância da Terra na constelação do norte de Perseus, enquanto se afasta de nós a uma velocidade de 14 km por segundo. Ele está mergulhado na região de formação de estrelas conhecida como Nuvem Molecular de Perseus.

A luz das aproximadamente 400 estrelas no aglomerado é espalhada pelas nuvens de poeira na região de formação de estrelas, produzindo assim a nebulosa de reflexão. Os membros mais brilhantes do aglomerado são quentes e brilhantes estrelas azuladas da Sequência Principal, mas algumas estrelas estão ainda em processo de formação, de modo que o processo de formação é algo vivo na região. As estrelas mais massivas do aglomerado são as estrelas do sistema binário conhecido como BD+31º643.

Aproximadamente metade das estrelas no aglomerado possuem um disco circunstelar, dos quais 60% são discos primordiais, onde planetas poderiam estar se formando. Estudos dos discos circunstelares de várias idades ajudam a melhor entender a dinâmica do processo de formação de planetas.

Dentro do aglomerado extremamente jovem estão também aproximadamente trinta estrelas do tipo anãs marrons descobertas com massas entre 15 a 80 vezes a massa do planeta Júpiter, bem como três anãs marrons com massa estimada sendo 10 vezes a massa do planeta Júpiter.

As anãs marrons perdem calor à medida que ficam mais velhas, assim elas são mais facilmente descobertas quando ainda são jovens. Modelos atuais estimam que suas superfícies tenham uma temperatura aproximada entre 900 e 1000 graus Kelvin (algo em torno de 600 a 700 Graus Celsius). Essa temperatura é extremamente baixa para objetos que se formaram a pouco tempo, o que implica que eles possuem massa menor do que qualquer tipo de objeto que observamos até a data. A descoberta das anãs no IC 348, permitiu aos astrônomos definirem novos limites para as massas extremamente baixas desses objetos.

Recentemente, os astrônomos descobriram um objeto variável incomum dentro do IC 348, que parece ser um par binário de protoestrelas, chamado de LRLL 54361, ou L54361, para ficar mais curto. Esse brilhante objeto emite raios de luz a cada 25.34 dias. Essas duas protoestrelas puxam material de um disco ao redor de gás e poeira. Os raios de luz são provavelmente devido ao material que repentinamente está sendo sugado para dentro das estrelas em crescimento à medida que elas se aproximam umas das outras em suas órbitas, lançando assim uma explosão de radiação.

Essa é somente a terceira vez que esse fenômeno tem sido observado, e ele é o mais poderoso já visto até o momento. Ele também representa a primeira vez que foi observado associado com um eco de luz. Sistemas binários de estrelas como esse que emitem raios de luz são raros, pois binárias próximas representam uma porcentagem ínfima das estrelas presentes na população de estrelas da nossa galáxia. Além disso, a luz pulsante é provavelmente um fenômeno breve no início da vida de uma estrela.

A imagem acima é em cor falsa da luz infravermelha e foi feita pelo Telescópio Espacial Spitzer da NASA.

Fonte:

http://annesastronomynews.com/annes-picture-of-the-day-star-cluster-ic-348/

alma_modificado_rodape105

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.