fbpx

Hubble Registra Detalhes da M66 e da Trinca de Leão

Essa impressionante imagem da porção interior da galáxia espiral M66 na constelação do Leão foi capturada pelo Telescópio Espacial Hubble, e revela um braço espiral distorcido e em forma de gancho e um núcleo deslocado, ambas as estruturas aparecem machucadas por terem sofrido com a guerra gravitacional entre as galáxias vizinhas, M65 e NGC3628.

Coletivamente, esse trio de galáxias é conhecido como Trinca de Leão, um dos alvos favoritos para observadores amadores e amantes da astrofotografia. Descoberta por Charles Messier, a M66 há muito tempo é conhecida por exibir uma estrutura estranha, um braço fortemente envergado para leste e outro para oeste como se eles saíssem do plano da galáxia. A causadora dessa confusão é a NGC3628, que possui um longo feixe de estrelas apagadas com 400000 anos-luz de comprimento e que retirou estrelas da M66 quando elas passaram perto uma da outra a um bilhão de anos atrás. Como resposta, o bulbo central da M66 foi deslocado do seu centro, fazendo com que a galáxia pareça torta e é claro que existe alguma atividade ao redor do buraco negro central que é alimentado pelo gás proveniente da barra galáctica central. Alguma atividade de Seyfert do tipo 2 (onde uma vasta linha de emissão do disco de acresção quente ao redor do buraco negro é bloqueada pelo gás e pela poeira) e uma fraca emissão de rádio da galáxia tem sido detectada irradiando das profundezas da M66. Todas essas características são típicas de galáxias espirais perturbadas gravitacionalmente.

A nova Advanced Camera for Surveys (ACS) do Hubble é capaz de registrar longas linhas negras de poeira nos braços espirais, bem como nós brilhantes azuis e rosas de aglomerados de estrelas quentes, suas formações são estimuladas pela força gravitacional das galáxias próximas.

A Trinca de Leão é um grupo de várias galáxias espirais, cobrindo algumas categorias do diagrama de Edwin Hubble que classifica as galáxias. A Messier 65 é uma espiral do tipo Sa, significando que ela é definida por um bulbo central e pequenos braços espirais. A Messier 66, como foi visto, é um pouco mais irregular nas bordas conferindo a ela a classificação de Sb, mas como tem a presença de barras pode ser classificada como SBb, onde o B maiúsculo designa a presença de barras. A NGC3628 tem um núcleo mais fraco e é então designada como Sc. A Messier 66 é a maior das três com 100000 anos-luz de diâmetro, e a distância entre a M66 e a M65 é de apenas 200000 anos-luz. Junto, o trio localiza-se a 33 milhões de anos-luz de distância.

Fonte:

http://www.spacetelescope.org/news/html/heic1006.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .