fbpx

Hubble Faz Imagem da Galáxia Anã da Phoenix


O Telescópio Espacial Hubble das Agências Espaciais NASA e ESA fez essa imagem da Galáxia Anã Phoenix, que está localizada a 1.4 milhões de anos-luz de distância da Terra. Essa galáxia como o próprio nome já diz se localiza na constelação do céu do sul da Phoenix. O objeto, uma galáxia irregular anã, apresenta estrelas mais jovens em suas regiões internas e estrelas mais velhas em suas regiões mais externas.

Galáxias anãs são pequenas galáxias compostas por poucas estrelas, alguns bilhões de estrelas se comparadas com galáxias gigantescas que podem conter centenas de bilhões de estrelas. No Grupo Local, existe um grande número dessas galáxias anãs orbitando galáxias maiores como a Via Láctea e a galáxia de Andrômeda. Acredita-se que elas tenham sido criadas pela força de maré nos estágios iniciais de criação dessas galáxias, ou como o resultado de colisões entre galáxias, formadas dos jatos ejetados de material e matéria escura das galáxias principais. A Via Láctea apresenta 14 galáxias satélites anãs em sua órbita.

Devido a sua forma, as galáxias irregulares são frequentemente confundidas com aglomerados globulares: elas não apresentam um bulbo ou braços espirais como as galáxias maiores. Contudo, sua importância em termos cosmológicos tem um contraste muito grande com a pouca beleza de suas formas mal definidas, à medida que sua composição química e seus altos níveis de gás, acreditam-se sejam similares àqueles das primeiras galáxias que povoaram o universo. Elas são pensadas como sendo versões contemporâneas de algumas das remotas galáxias observadas no campo profundo de pesquisas galácticas e assim elas podem ajudar a entender os estágios iniciais da formação das galáxias e das estrelas no início do universo.

A galáxia anã da Phoenix foi descoberta em 1976 por Hans-Emil Schuster e Richard Martin West. Hans-Emil Schuster era diretor do Observatório de La Silla do ESO no Chile e estava envolvido na seleção e teste de locais para observações tanto do La Silla como do Paranal. Sua grande contribuição para a astronomia e para o ESO foi reconhecida pelo governo chileno na semana passada, quando recebeu a medalha da Ordem de Bernardo O’Higgins.

Fonte:

http://www.spacetelescope.org/images/potw1143a/


Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .