Gigantesco Impacto Pode Ter Fraturado Todo o Satélite Ganimedes de Júpiter

O satélite Ganimedes de Júpiter é coberto por fraturas que podem representar as evidências de uma grande colisão e que pode fazer dessa a maior estrutura de impacto de todo Sistema solar.

Ganimedes é o maior satélite do Sistema Solar, ou a maior lua do Sistema Solar, como queira chamar, e é o nono maior objeto de todo o nosso sistema, sendo maior até mesmo que o planeta Mercúrio, medindo cerca de 5000 km de diâmetro. Esse satélite já foi visitado por várias sondas espaciais, a Voyager 1 e 2 da NASA em 1979, e a sonda Galileo em 1996 e em 2000.

As imagens dessas sondas revelaram fraturas na superfície da lua, cada uma delas com alguns quilômetros de largura, que parecem ser na verdade, anéis concêntricos. Os pesquisadores, acreditam que essas fraturas podem ter sido causadas  pelo impacto que abalou metade da lua, mas a extensão total  e o local exato da colisão não é totalmente claro.

Agora um grupo de pesquisadores, reexaminaram as imagens e descobriram que o tamanho da estrutura de impacto na verdade estava sendo subestimado. Eles acreditam que ela tenha aproximadamente 16000 quilômetros de diâmetro, significando que ela deu a volta completa na lua, quase que encontrando as duas pontas do outro lado do satélite natural, e foi causada por um bólido com cerca de 300 quilômetros de diâmetro.

Isso faz com que a maior estrutura de impacto conhecida até hoje no nosso Sistema Solar, a Bacia Aitken do Polo Sul da Lua que tem 2500 quilômetros de diâmetro e que foi causada por um bólido com 200 km de diâmetro seja uma anã.

Esse grande impacto deve ter afetado a geologia de Ganimedes de forma significante. Esse impacto deve ter ocorrido a cerca de 4 bilhões de anos atrás, numa região de Ganimedes, conhecida como Marius Regio. Desde então a superfície do satélite foi reconstruída pela atividade vulcânica e tectônica, apagando parte da história desse impacto. Mas as fraturas ainda podem ser vistas num terreno escuro e mais velho que cobre cerca de um terço da superfície.

O tamanho da estrutura de impacto é difícil de se medir exatamente, pois ela não se formou de maneira normal. A concha de gelo de Ganimedes era muito fina para formar um clássico anel como podemos observar em outras crateras. O impacto criou fraturas onduladas ao redor da bacia de impacto, mas não se tem a bacia preservada.

As imagens de missões futuras, entre elas a JUICE da ESA programada para orbitar Ganimedes em 2032deve nos dizer mais sobre isso. Essa missão irá melhorar o nosso conhecimento sobre a estrutura interna, especialmente sobre o local de impacto.

Fonte:

https://www.newscientist.com/article/2249487-a-giant-impact-may-have-caused-cracks-all-over-jupiters-moon-ganymede/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.