fbpx
17 de setembro de 2021

ESA Confirma O Local de Pouso Primário J Para o Módulo Philae da Sonda Rosetta


confirm_j_01


observatory_150105A ESA deu luz verde para a missão Rosetta lançar o seu módulo de pouso Philae, para o local primário escolhido no Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko no dia 12 de Novembro de 2014, na primeira tentativa em toda a história da humanidade de se pousar num cometa.

O local de pouso do módulo Philae, conhecido atualmente como Local J e localizado no lobo menor do cometa, foi confirmado, como local de pouso no dia 14 de Outubro depois de várias revisões e confirmações.


confirm_j_02


Desde sua chegada no cometa, a missão tem conduzido uma pesquisa e uma análise científica sem precedentes do cometa, um corpo remanescente das primeiras fases de vida do Sistema Solar com 4.6 bilhões de anos de história.

Ao mesmo tempo, a Rosetta tem se aproximado cada vez mais do cometa: começou a uma distância de 100 km em 6 de Agosto de 2014, e agora está a apenas 10 km do centro do corpo de 4 km de largura. Essa distância permite uma visão mais detalhada tanto do local primário como do local secundário para pouso com o objetivo de completar o acesso às ameaças, incluindo o censo que está sendo feito sobre o número de pedaços rochosos.


confirm_j_03


A decisão que a missão está pronta para pousar o Phile no Local J também confirma a timeline de eventos que acontecerão até o pouso.

A Rosetta irá liberar o módulo Philae às 05:35 hora de Brasília (06:35 com horário de verão) do dia 12 de Novembro de 2014 a uma distância de aproximadamente 22.5 km do centro do cometa. O pouso acontecerá cerca de 7 horas depois por volta das 12:30, hora de Brasília (13:30 com o horário de verão).


confirm_j_04


Com o tempo de percurso do sinal entre a sonda Rosetta e a Terra no dia 12 de Novembro de cerca de 28 minutos e 20 segundos, isso significa que a confirmação da separação chegará nas estações da Terra às 06:03, hora de Brasília (07:03 com o horário de verão) e a confirmação do pouso acontecerá por volta das 13:00, horário de Brasília (14:00, com o horário de verão).

“Agora que nós sabemos onde nós estamos definitivamente, nós estamos um passo a frente para executar essa tarefa de alto risco porém de grande animação e ineditismo”, disse Fred Jansen gerente de missão da Rosetta para a ESA.

“Contudo existem ainda um número de marcos chaves que precisam ser completados antes de darmos o GO final para o pouso”.


confirm_j_05


Uma série de decisões de GO/NO-GO precisam ser feitas antes da separação, começando no dia 11 de Novembro com a confirmação da equipe de dinâmica de voo que a Rosetta está na trajetória certa para a liberação do Philae.

Outras decisões de GO/NO-GO serão feitas durante a noite de 11 para 12 de Novembro de 2014 com relação aos comandos, culminando na confirmação final de que o módulo Philae está pronto para ser liberado e pousar no cometa.

Uma pequena manobra precisa ser feita por volta de duas antes da separação. Ela fará com que a sonda Rosetta libere o módulo Philae na trajetória certa para pousar no cometa. A decisão crítica final de GO/NO-GO para a separação ocorrerá pouco depois dessa manobra.

Depois de lançar o módulo Philae, a Rosetta irá manobrar para cima e para longe do cometa, antes de ser reorientada para que possa estabelecer a comunicação com o módulo Philae.


confirm_j_06


“Se qualquer uma das decisões for de NO-GO, então nós temos que abortar e revisar a linha de tempo para uma nova tentativa, garantindo que a sonda Rosetta esteja numa posição segura para uma nova tentativa”, disse Fred Jansen.

Tudo correndo bem, a Rosetta e o seu módulo de pouso começarão as comunicações cerca de duas horas depois da separação.

Durante a descida de sete horas, o módulo Philae fará imagens e irá conduzir experimentos científicos, amostrando o gás, a poeira e o ambiente de plasma próximo do cometa.

Ele fará uma imagem de despedida da Rosetta pouco depois da separação, juntamente com um número de imagens à medida que ele se aproximar da superfície do cometa. É esperado que as primeiras imagens dessa sequência sejam recebidas na Terra algumas horas depois da separação.


confirm_j_07


Uma vez que esteja são e salvo na superfície do cometa, o módulo de pouso Philae fará uma imagem panorâmica a sua volta. Novamente, espera-se que essa imagem chegue na Terra algumas horas depois.

A primeira sequência de experimentos científicos na superfície do cometa começará a ser feita cerca de um hora após o pouso e durará cerca de 64 horas, dependendo da vida da bateria primária do Philae.



Estudos de longo prazo do cometa pelo Philae irão depender de quanto tempo as baterias precisarão para serem carregadas, o que depende da quantidade de poeira que estará acumulada nos painéis solares.

De qualquer forma, espera-se que em Março de 2015, à medida que o cometa se dirige para mais perto do Sol, as temperaturas dentro do Philae atingirão níveis muito elevados para continuar as operações e a missão científica do Philae será encerrada.

A missão da Rosetta irá continuar por muito mais tempo. Ela acompanhará o cometa à medida que a sua atividade crescer até seu ponto mais próximo do Sol em Agosto de 2015, e então o acompanhará também no momento em que o cometa deixar o Sistema Solar interno.

Essa missão sem precedentes na história estudará como um cometa se desenvolve e trará ideias importantes sobre a formação do nosso Sistema Solar e sobre as origens da água e talvez da vida na Terra.

Uma timeline detalhada com as operações que serão feitas incluindo as decisões de GO/NO-GO estará disponível em breve.



Fonte:

http://www.esa.int/Our_Activities/Space_Science/Rosetta/ESA_confirms_the_primary_landing_site_for_Rosetta

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo