fbpx

Descoberta Anã Marrom Orbitando Estrela Jovem Como o Sol

Astrônomos fizeram imagens de uma anã marrom muito jovem, ou uma estrela de falha em uma órbita muito próxima ao redor de uma estrela como o Sol.

Uma equipe de pesquisadores internacionais liderada pela astrônoma Beth Biller e Michael Liu da Universidade do Havaí com a ajuda do astrônomo Laird Close da Universidade do Arizona e com os estudantes Eric Nielsen, Jared Males e Andy Skemer, fizeram essa descoberta rara usando o instrumento Near Infrared Coronographic Imager ou NICI acoplado ao Telescópio de 8 metros Gemini Sul no Chile.

O que faz essa descoberta especial é a proximidade entre a anã marrom com uma massa 36 vezes maior que Júpiter, chamada oficialmente de PZ Tel B e a estrela primária chamada de PZ Tel A. Elas estão separadas por somente 18 Unidades Astronônomicas, uma distância igual a distância que separa Urano do Sol.

A maioria das anãs marrons e dos seus sistemas planetários encontrados normalmente apresentam uma distância orbital maior que 50 UA, maior do que a órbita de Plutão que é de 40 UA.

Além da pequena separação, em apenas um ano os pesquisadores observaram a PZ Tel B se movendo rapidamente para longe da estrela principal.

Uma imagem antiga desse sistema feita sete anos atrás e analisada novamente por Laird Close, mostrou que a PZ Tel B foi obscurecida pelo brilho de sua estrela principal indicando que a órbita seja mais elíptica do que circular.

“Pelo fato da PZ Tel A ser uma estrela rara tanto pelo fato de ser jovem como o fato de estar próxima, ela foi fotografada inúmeras vezes no passado”, diz Close. “Então todos ficaram surpresos ao ver uma estrela companheira, pois todos imaginavam que ela era uma estrela solitária”.

A autora principal do trabalho Beth Biller diz, “A estrela PZ Tel B viaja em órbita particularmente excêntrica – nos últimos 10 anos ela já experimentou distâncias equivalentes aos planetas internos do sistema solar. Isso só pode ser explicado pelo formato da órbita altamente excêntrica com uma forma bem oval”.

A estrela hospedeira PZ Tel A, é uma versão mais jovem que o Sol, tendo massa similar ao sol mas somente 12 milhões de anos de vida, algo em torno de 400 vezes mais jovem que o Sol. De fato o sistema PZ Tel é jovem o suficiente para ainda possuir uma significante quantidade de poeira interestelar fria, que pode ter sido esculpida pela interação gravitacional entre a anã marrom e a sua companheira.

Isso faz com que o sistema PZ Tel seja um laboratório importante para estudar os estágios iniciais de formação do sistema solar. Com uma massa estimada de 36 vezes a massa de Júpiter, o movimento orbital da estrela PZ Tel B tem implicações significantes para que se forme um tipo de planeta no sistema.

Pelo fato da estrela PZ Tel B estar muito próxima da sua estrela principal, técnicas especiais são necessárias para distinguir a luz das estrelas de forma separada. A estrela PZ Tel B tem uma separação de 0.33 arcos de segundos da estrela PZ Tel A, o equivalente a observar uma moeda a uma distância de 11 km.

Para se fazer as imagens de estrelas tão próximas a equipe usou sistemas ópticos adaptativos acoplados ao coronógrafo com o objetivo de bloquear o excesso de luz e então aplicar técnicas de análise especializada para fazer a imagem que fosse possível detectar a estrela PZ Tel B e medir seu movimento orbital.

A estrela PZ Tel B foi descoberta usando o instrumento chamado Near Infrared Coronographic Imager, ou NICI, o instrumento de alto contraste mais poderoso já desenvolvido com o objetivo de realizar imagens de anãs marrons e sistemas planetários extrasolares. O NICI pode detectar companheiros um milhão de vezes mais apagados do que a estrela hospedeira em uma distância de 1 arco de segundo.

Uma equipe internacional de pesquisadores está utilizando o Telescópio Gemini atualmente para realizar uma pesquisa de 300 estrelas, a maior busca em alto contraste já conduzida até hoje.

O líder científico do NICI, Michael Liu diz: “Nós apenas começamos a colher informações sobre as várias configurações de sistemas solares ao redor de estrelas como o Sol. As habilidades únicas do NICI nos fornecem uma poderosa ferramenta para estudar os constituintes desses sistemas através de um imageamento direto”.

A descoberta da estrela PZ Tel B está descrita em um artigo que pode ser encontrado aqui: http://tecnoscience.squarespace.com/arquivo/descoberta-de-an-marrom/

Fonte:

http://uanews.org/node/33014

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .