LINK PARA O GRUPO ONDE VOCÊ VAI APROVEITAR AS MEGAS CONDIÇÕES DO CURSO DE ASTRONOMIA BIG BANG!!!

academyspace.com.br/vip

A cerca de 66 milhões de anos atrás, a Terra sofreu um grande impacto.

Um impacto que trouxe consequências mortais e que mudou o rumo da história do nosso planeta.

Como nós sabemos disso?

Pois ali na costa do México está localizada a Cratera de Chicxulub, com seus 150 km de diâmetro e 20 km de profundidade.

Foi esse evento catastrófico que traçou o destino dos dinossauros, causando a extinção em massa desses animais no nosso planeta.

Até aí a história é conhecida, mas existem grandes mistérios sobre o evento que criou a Cratera de Chicxulub.

Teria sido um cometa ou um asteroide que se chocou com a Terra e decretou o fim dos dinossauros?

A hipótese mais aceita é que o objeto que se chocou com a Terra teve a sua origem no Cinturão Principal de asteroides, ou seja, um asteroide do Cinturão Principal.

Mas, recentemente, o polêmico Avi Loeb e um de seus alunos escreveram um artigo onde fazem uma proposta diferente para o que matou os dinossauros.

Usando análises estatísticas e simulações gravitacionais eles calcularam que o objeto que se chocou com a Terra há 66 milhões de anos atrás poderia ser um cometa e não um asteroide.

De acordo com o cálculo dos pesquisadores uma fração significante de cometas de longo período que se originam na Nuvem de Oort, podem ser impulsionados para o Sistema Solar interno e se transformarem em cometas chamados sungrazers, ou seja, cometas que mergulhamn no Sol.

O ponto é que esses cometas podem se romper quando chegam perto do Sol, e um pedaço desse cometa poderia ter então se chocado com a Terra e extinto os dinossauros.

Um ponto a favor dessa ideia é que na Cratera de Chicxulub são encontradas rochas compostas por carbonáceos condritos, esse tipo de composição é rara nos asteroides do Cinturão Principal de asteroides do Sistema Solar.

Porém podem estar mais presente em cometas de longo período como é proposto na nova ideia do Avi Loeb.

Outras crateras similares na Terra apresentam a mesma composição, como a Cratera Vredefort na Áfirca do Sul que se formou a 2 bilhões de anos atrás, e é a maior cratera confirmada na história da Terra.

E a Cratera Zhamanshin no Cazaquistão que é a maior cratera confirmada na Terra, formada no último milhão de anos.

Todos esses impactos suportam a ideia de que o corpo parental que deu origem à Cratera de Chicxulub foi um cometa de longo período e não um asteroide.

No futuro próximo com os grandes telescópios, principalmente com o Vera Rubin, os pesquisadores poderão observar a ruptura desses cometas e assim será mais um ponto a favor da teoria do Avi Loeb.

E aí, cometa ou asteroide, o que matou os dinossauros?

Fonte:

https://www.cfa.harvard.edu/news/2021-03

https://www.nature.com/articles/s41598-021-82320-2

#CHICXULUB #COMET #SPACETODAY
Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.