Colinas Marius na Lua – Local de Pouso da Apollo 17

Em Setembro de 1971, a Apollo 17 pousou na Lua no complexo vulcânico conhecido como Colinas Marius, e finalmente conseguiu recolher amostras que documentavam o suave vulcanismo explosivo que formou os pequenos cones. Não é essa a maneira que você se lembra da Apollo 17?Poderia ter acontecido dessa forma porque o plano preliminar para futuras missões Apollo que a NASA lançou apenas alguns dias após o sucesso da Apollo 11,listou o local de pouso da Apollo 17, como as Colinas de Marius. O que uma expedição que teria sido! Esse é o maior complexo vulcânico da Lua (claro que depois das regiões de mares) e ninguém entende por que ele existe. Parece que toda a área pode ser um pouco mais alta que a área ao redor, como uma versão em miniatura do Platô Aristarchus. As Colinas Marius, incluem centenas de colinas levemente íngremes e domos planos além de três canais sinuosos. Estudos espectrais mostram que as colinas íngremes possuem cinza vulcânica, indicando que erupções explosivas aconteceram ali. Os domos foram formados por fluxo de lava não explosivo. E os canais sinuosos provavelmente se formaram a partir das rotas maiores do fluxo de lavas. À esquerda (sul) existe uma feição brilhante parecida com um espermatozoide chamada de Reiner Gamma. Essa feição está associada com a presença de um forte campo magnético mas aparentemente nada tem a ver com as Colinas Marius. Existem muitas coisas para aprendermos quando retornarmos a Lua.

Fonte:

http://lpod.wikispaces.com/January+8,+2011

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo