fbpx

CiencTecTV Ep.23 – A Histórica Passagem do Cometa Siding Spring Por Marte


mars_comet-br2


observatory_150105Um cometa irá passar raspando pelo planeta Marte no próximo domingo, dia 19 de Outubro de 2014, num encontro épico que está animando astrônomos no mundo todo.

O Cometa Siding Spring, também conhecido como C/2013 A1, irá passar a uma distância aproximada de 140000 km da superfície do Planeta Marte, às 15:27 hora de Brasília (16:27 com o horário de verão) no próximo domingo, dia 19 de Outubro de 2014. Por comparação, a Lua orbita a Terra a uma distância média cerca de 350000 quilômetros.


Earth-Moon-Comet-Siding-Spring-Distance-Comparison2-br2


Embora o cometa não será um espetáculo para os observadores na Terra, a frota de sondas que orbitam Marte poderão ter uma visão espetacular do fenômeno. Elas estudarão o cometa, bem como as interações observáveis entre as partículas expelidas pelo cometa e a fina atmosfera de Marte.


14-090-hubble-comet_0-br2


Cometas são corpos congelados resquícios da formação do Sistema Solar, e o Cometa Siding Spring é um belo exemplar disso já que nunca foi aquecido pelo Sol, ou seja, nunca visitou o Sistema Solar interno. Assim qualquer ideia sobre a composição do cometa e o seu comportamento podem ajudar os pesquisadores a entenderem melhor como a nossa vizinhança cósmica começou a tomar forma a cerca de 4.6 bilhões de anos atrás.

“Esse é um verdadeiro presente cósmico para a ciência que pode potencialmente fazer com que possamos receber uma grande quantidade de informações. Esse cometa, em particular, nunca antes entrou no Sistema Solar interno, então ele nos fornece uma fonte fresca das pistas sobre como era o nosso Sistema Solar nos seus primeiros dias”, disse o antigo astronauta John Grunsfeld, administrador do Science Mission Directorate da NASA.


Mars-Comet-Siding-Spring-NEOWISE-PIA18593-br2


Todas as cinco sondas em operação na órbita do Planeta Vermelho – Mars Odyssey da NASA, Mars Reconnaissance Orbiter e Maven também da NASA, a Mangalyaan da Índia e a Mars Express da ESA – observarão a passagem do cometa. Além disso os rovers da NASA Curiosity e Opportunity irão inclinar seus pescoços para o céu para poder observar a passagem do cometa desde a superfície marciana.


Comet-Siding-Spring-Views-Earth-Night-Sky-Southern-Hemisphere-br2


A campanha de observação do Siding Spring não está restrita às sondas próximas de Marte no domingo. Um grande número de instrumentos na Terra e no espaço já estão observando o cometa e continuarão nessa campanha durante a passagem e até mesmo depois da passagem do cometa pelo planeta Marte. Um objetivo principal é ver como esse cometa, ainda “virgem” sofrerá alterações ao ficar cada vez mais próximo do Sol.

Não existe a menor possibilidade que o cometa Siding Spring se choque com o planeta Marte, durante a passagem, e as análises sugerem que o material expelido pelo cometa não representa ameaça e perigo para as sondas na órbita do Planeta Vermelho. Os rovers Opportunity e Curiosity estão são e salvos, protegidos pela fina atmosfera de Marte. Mas mesmo assim a NASA tomou as precauções necessárias e as sondas estarão posicionadas no lado oposto do planeta durante a passagem do Siding Spring.


Comet-Siding-Spring-Trajectory-Mars-br2


O cometa com cerca de 700 metros de diâmetro passou a maior parte da sua vida na Nuvem de Oort, um repositório congelado de cometas, localizada a cerca de 50000 Unidades Astronômicas de distância do Sol.

Os cientistas acreditam que a órbita do Siding Spring tem muitos milhões de anos e que ele nunca passou pelo Sistema Solar interno, chegando ao máximo no reino dos planetas gigantes. Assim, essa jornada do cometa é especial.


NASA_Spacecraft_Observing_Comet_Siding_Spring-br2


“Esse cometa foi enviado para o Sistema Solar interno, devido a passagem de uma estrela perto da Nuvem de Oort. Assim, acredita-se que o cometa começou a sua viagem provavelmente no mesmo momento em que a humanidade surgia no planeta Terra, e está se aproximando agora”, disse Carey Lisse, uma astrofísica sênior do Laboratório de Física Aplicada da Universidade de Johns Hopkins em Laurel, Maryland.

“A razão pela qual podemos hoje observar esse cometa tão de perto é porque construímos satélites e rovers, e agora estamos explorando a órbita do Planeta Marte”, adicionou Lisse. “Isso é muito interessante e animador”.



Fonte:

http://www.space.com/27415-comet-siding-spring-mars-flyby-preview.html

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .