Átomos pela Paz: Uma Colisão Galáctica em Ação

Astrônomos do Observatório Europeu do Sul produziram uma imagem espetacular da famosa galáxia Átomos pela Paz (NGC 7252). Este amontoado galáctico que se formou da colisão de duas galáxias, fornece aos astrônomos uma excelente oportunidade de estudar quais os efeitos da fusão de galáxias na evolução do Universo.

Átomos pela Paz é o curioso nome dado a um par de galáxias em fusão, situado a cerca de 220 milhões de anos-luz de distância na constelação de Aquário. Estas galáxias são também conhecidas por NGC 7252 e Arp 226 e são suficientemente brilhantes para serem vistas como uma mancha desfocada muito tênue pelos astrônomos amadores. Esta imagem muito profunda foi obtida pelo instrumento do ESO Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros situado no Observatório de La Silla no Chile.

Uma colisão de galáxias é um dos processos mais importantes que influenciam o modo como o nosso Universo evolui, por isso estudar este fenômeno revela pistas importantes sobre a ascendência galáctica. Felizmente, tais colisões são processos que duram centenas de milhões de anos, o que dá imenso tempo aos astrônomos de os estudar.

Esta imagem da Átomos pela Paz representa uma fotografia da colisão, com um caos total libertado, tendo como pano de fundo um campo de galáxias distante. Os resultados do intricado jogo de interações gravitacionais pode ser visto nas formas das caudas produzidas pelas correntes de estrelas, gás e poeiras. A imagem mostra igualmente as incríveis conchas que se formam quando gás e estrelas são arrancados das galáxias em colisão e enrolados em torno do núcleo conjunto. Embora muito material seja ejetado para o espaço, há regiões onde o material é comprimido, dando origem a intensa formação estelar. O resultado é a formação de centenas de enxames estelares muito jovens, com cerca de 50 a 500 milhões de anos, os quais se pensa serem os progenitores dos enxames globulares.

Átomos pela Paz pode bem ser um arauto do destino da nossa própria Galáxia.Os astrônomos predizem que dentro de cerca de três ou quatro mil milhões de anos a Via Láctea e a Andromeda colidam, tal como aconteceu com a Átomos pela Paz. Mas, nada de pânicos: a distância entre estrelas no interior de uma galáxia é tão grande que é bastante improvável que o nosso Sol colida com qualquer outra estrela durante a fusão.

O curioso nome da galáxia tem uma história interessante. Em Dezembro de 1953 o Presidente Eisenhower fez um discurso que foi apelidado Átomos pela Paz. Esse discurso visava promover a energia nuclear para fins pacíficos – um assunto particularmente quente na altura. O discurso e a conferência associada geraram ondas na comunidade científica, e não só, de tal maneira que a NGC 7252 foi chamada galáxia Átomos pela Paz. De certo modo, o nome é estranhamente apropriado: a forma curiosa que observamos é o resultado da fusão de duas galáxias que se unem para produzir algo completamente novo e magnífico, um pouco como acontece na fusão nuclear. Além disso, as laçadas gigantes observadas fazem lembrar um diagrama dos elétrons em órbita de um núcleo atômico, diagrama esse que poderia ter saído de qualquer livro de estudo sobre o assunto.

Fonte:

http://www.eso.org/public/news/eso1044/

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo