Astrônomo Brasileiro Descobre 5 Novos Aglomerados Globulares – Space Today TV Ep.1350

—————————————————————————–

**** CONHEÇA A LOJA OFICIAL DO SPACE TODAY!

http://www2.spacetodaystore.com

Camisetas, e muitos produtos para vocês. Visite!

—————————————————————————–

**** VAKINHA DOS ALUNOS DE PÓS EM ASTRONOMIA DA USP!

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/astronomos-da-usp-precisam-de-apoio-para-ir-ao-observatorio-eso

AJUDE O FUTURO DA ASTRONOMIA NO BRASIL!!!

—————————————————————————–

**** TWITTER DO PROFESSOR JORGE MELENDEZ DA USP – SIGA AGORA!!!

https://twitter.com/DrJorgeMelendez

—————————————————————————–

Existe um objeto astronômico chamado de aglomerado globular de estrelas.

Esse objeto possui centenas de milhares de estrelas empacotadas numa pequena porção do espaço.

É um objeto fundamental para se entender a evolução e até mesmo a formação das galáxias, pois ele é formado pelas estrelas mais antigas, estrelas que podem ter até a mesma idade do universo.

Provavelmente foi ou com a fusão desses aglomerados, ou pelo canibalismo de galáxias outrora menores com esses aglomerados que as galáxias como a Via Láctea nasceram e evoluíram.

Outro detalhe importante, os aglomerados globulares podem abrigar também o tipo mais raro de buraco negro, os buracos negros de massa intermediária.

O problema, não existem tantos assim, na Via Láctea, por exemplo, existem menos de 200 aglomerados globulares identificados.

Descobrir um objeto desses não é algo fácil, eles ficam vagando pelo centro galáctico, uma região conhecida como bulbo, uma região repleta de poeira e gás o que dificulta e muito a identificação desses objetos.

Mas agora recentemente, um astrônomos brasileiro, o Denilso Camargo do Colégio Militar de Porto Alegre, fez a descoberta de 5 novos aglomerados globulares da Via Láctea.

Para fazer essa descoberta ele utilizou dados do WISE, do 2MASS e os novos dados da missão GAIA.

Os aglomerados foram chamados de Camargo 1102, 1103, 1104, 1105 e 1106.

Esses aglomerados apresentam estrelas que possuem idades entre 12.5 e 13.5 bilhões de anos.

O 1102 está localizado sobre a barra da Via Láctea a uma distância de 26700 anos-luz do Sol e a 2800 anos-luz acima do centro.

Os outros aglomerados estão localizados a distâncias que variam de 14700 a 18900 anos-luz do Sol, e entre 6800 e 11700 anos-luz do centro galáctico.

Um dos maiores problemas para a astronomia galáctica é entender a evolução e a formação do bulbo galáctico, e esse problema só pode ser resolvido com a descoberta dos aglomerados globulares.

É estudando as propriedades desses aglomerados que os astrônomos serão capaz de traçar a história dessa região central da Via Láctea, pois os aglomerados globulares funcionam como verdadeiros fósseis galácticos.

Além disso, descobrir novos aglomerados globulares e estudar suas propriedades é algo essencial para melhorar o nosso conhecimento sobre a história da Via Láctea e ajudar a caracterizar o seu atual estado evolucionário.

Um trabalho realmente espetacular e de suma importância para a astronomia, para o conhecimento da nossa galáxia e para o estudo da evolução galáctica.

Como eu disse, os dados da missão Gaia nos ajudarão e muito a melhor entender o universo.

Parabéns para o Denilso, um grande astrônomo que o Brasil possui e que faz trabalhos espetaculares.

Fonte:

http://www.sci-news.com/astronomy/globular-clusters-milky-way-bulge-06163.html

Artigo:

https://www.slideshare.net/sacani/five-new-globular-clusters-discovered-in-the-galactic-bulge/sacani/five-new-globular-clusters-discovered-in-the-galactic-bulge

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.