A Poeira do Halley e a Via Láctea

EtaAquaridMW_taylor


observatory_1501052As primeiras horas da manhã de 06 de maio estavam sem Lua, quando os grãos de poeira cósmica riscaram os céus escuros. Varrida enquanto o planeta Terra passava através dos detritos de poeira deixados para trás pelo cometa periódico Halley, a chuva de meteoros é conhecida como Eta Aquarídeos. Essa inspirada exposição o traço de um meteoro se movendo da esquerda para a direita através do quadro. Sua trilha aponta para o outro lado do arco da Via Láctea para o radiante da chuva de meteoros acima do horizonte local, na constelação de Aquário. Conhecida pela velocidade, os meteoros da chuva dos Eta Aquarídeos se movem rapidamente, entrando na atmosfera a cerca de 66 quilômetros por segundo. As águas calmas do lago perto de Albion no Maine, EUA, refletem a cena estrelada e o brilho laranja das luzes artificiais próximas, espalhadas por um banco de nuvens baixas. Os observadores do hemisfério norte da Terra estão esperando por uma nova chuva de meteoros em 24 de Maio de 2014, os Camelopardalídeos, uma chuva causada pela poeira do cometa periódico 2009P/LINEAR.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap140509.html


alma_modificado_rodape1052

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo