A Pesca Gelada Atrás de Neutrinos Cósmicos

Os cientistas estão derretendo buracos na base do mundo. De fato, quase 100 buracos foram derretidos próximos ao Polo Sul e estão sendo agora usados como observatórios astronômicos. Os astrônomos com o IceCube neutrino Observatory descem em cada buraco vertical uma longa corrente cheia de detectores de luz do tamanho de bolas de basquete. A água em cada um dos buracos rapidamente se congela novamente. Os detectores presos às correntes são sensíveis à luz azul emitida pelo gelo puro ao redor. Essa luz é emitida pelas colisões do gelo com neutrinos de alta energia emitidos por objetos ou explosões distantes no universo. No final de 2010, a última das 86 correntes do IceCube desceu no abismo congelado, mostrado na foto acima, fazendo assim com que o IceCube se torna-se o maior detector de neutrinos já criado. Dados de um experimento preliminar, o AMANDA, já foi usado para criar o primeiro mapa detalhado de neutrinos de alta energia do céu. Os objetivos experimentais do mais novo IceCube incluem uma pesquisa pelas fontes cósmicas de neutrinos, uma busca por neutrinos coincidentes com supernovas próximas e com distantes explosões de raios-gamma e se tiver sorte, uma pesquisa por conceitos físicos exóticos como as dimensões espaciais que não podem ser vistas e as viagens mais rápidas que a luz.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap110213.html

 

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo