fbpx
23 de fevereiro de 2024

A Matéria Escura Continua Obscura

O jornal The New York Times divulgou hoje um artigo sobre os primeiros resultados obtidos pelo XENON 100, um poderoso detetor de matéria escura localizado no Laboratório Nacional de Gran Sasso na Itália, abaixo da montanha Gran Sasso próximo a Roma. Só existem até agora 11 dias de dados acumulados e nenhuma pista da matéria escura, mas dada a recente disputa entre os diferentes grupos, e devido ao poder do XENON 100 como detetor, os resultados são notáveis.

Primeiro, uma breve recapitulação sobre a matéria escura. Os físicos acreditam que a matéria escura é algo tão pesado que é responsável por cerca de 85% da matéria no universo. Ela interagem de maneira fraca com matéria regular exceto através da gravidade. Atualmente ela tem sido inferida por meio de medidas da rotação das galáxias e pela radiação de microondas de fundo, a radiação remanescente do Big Bang.

Mas existe uma esperança de que se a matéria escura interage então os físicos seriam capazes de vê-la mesmo que ocasionalmente, por meio da sua colisão com outras porções de matérias mais convencionais. Para detecta-la eles teriam que espalhar equipamentos ao redor do mundo. Alguns detetores  ( e em particular o experimento localizado em Gran Sasso) têm espalhado a notícia de terem conseguido ver a matéria escura, mas até o momento nada foi confirmado e nem dado como definitivo.

O XENON 100 tem a sua própria classe dentro dos detetores. Ele usa 50 kg de xenon líquido que supostamente emite um raio de luz se for atingido por uma partícula de matéria escura. É o tamanho do detetor que o destaca entre os demais: a maioria dos experimentos de matéria escura feitos até hoje mediam seus detetores em gramas e não em quilos. Quanto mais massa tem um detetor a interação com a matéria escura é mais provável e assim mesmo depois de somente 11 dias em funcionamento o XENON 100 tinha algo a dizer sobre a matéria escura.

O resultado obtido pelo XENON 100, supera os clamores anteriores de detecção da matéria escura. Basicamente se os experimentos anteriores realmente observaram algo, então o XENON 100 teria maior probabilidade de ver também. O fato é que existem muitas dúvidas sobre a veracidade dessas detecções precoces.

Mas fiquem ligados, o XENON 100 irá coletar mais dados nos meses seguintes e com certeza em breve teremos notícias interessantes sobre a matéria escura para divulgar.

Fonte:

http://blogs.nature.com/news/thegreatbeyond/2010/05/dark_matter_stays_dark.html

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo