fbpx

A ISS e a Via Láctea de Verão no Hemisfério Sul

ISSMW_argerichMG_5234_16

observatory_150105Nuvens em uma noite de verão enquadram essa paisagem marítima e celeste, registrada no início do mês de Janeiro de 2013 perto de Buenos Aires na Argentina. Mas as nuvens do planeta Terra não são as únicas nuvens na cena. Além delas, nuvens estelares e nebulosas ao longo do arco da Via Láctea do hemisfério sul arqueiam sobre o horizonte, incluindo o escuro Saco de Carvão perto do Cruzeiro do Sul e o tentador brilho rosado da Nebulosa da Carina também são observados na imagem acima. Tanto a Grande como a Pequena Nuvem de Magalhães também são vistas na imagem acima. Elas são galáxias pequenas e satélites da nossa Via Láctea localizadas a aproximadamente 200000 anos-luz de distância. A estrela Alpha da constelação da Carina e a segunda estrela mais brilhante do céu noturno da Terra, Canopus brilham acima a aproximadamente 300 anos-luz de distância. Ainda iluminada pela luz do Sol a uma altura de aproximadamente 400 quilômetros, a Estação Espacial Internacional em órbita da Terra, traça uma longa faixa nessa imagem com 5 minutos de exposição feita para registrar as estrelas do hemisfério sul.

Fonte:

http://apod.nasa.gov/apod/ap130124.html

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo