fbpx

A Interessante História do Aglomerado Globular NGC 6380

Essa imagem mostra o aglomerado globular NGC 6380, que fica localizado a uma distância de aproximadamente 35 mil anos-luz da Terra, na constelação de Escorpião. A estrela bem brilhante na parte superior da imagem é a HD 159073, que está a apenas 4000 anos-luz de distância da Terra, muito mais próxima que o aglomerado globular. Essa imagem foi feita pela Wide Field Camera 3, ou WFC3 do Telescópio Espacial Hubble, e como o nome sugere ela tem um vasto campo de observação, significando que ela pode observar áreas relativamente grandes do céu com grande detalhe.

O nome NGC 6380, é um código, que indica que o aglomerado está cadastrado no chamado New General Gatalogue, NGC, que foi compilado originalmente em 1888. Esse aglomerado tem, contudo, outros nomes. Ele foi descoberto por James Dunlop em 1826, e por isso recebe o nome de Dun 538. Oito anos depois, em 1834, ele foi redescoberto por John Herschel e que deu outro nome para ele, H 3688. O aglomerado foi redescoberto novamente em 1959, em Paris, por Pismis, que o catalogou dessa vez como Tomantzintla 1, e que para seguir a tradição de dar nome de pessoas, o chamou de Pismis 25. Além da sua bela história de descoberta e redescobertas, até 1950, o NGC 6380 era pensado como sendo um aglomerado aberto. Foi A. D. Thackeray que percebeu que ele era de fato um aglomerado globular. Atualmente, o aglomerado é reconhecido em todos os catálogos existentes como sendo um aglomerado globular, e o seu nome ficou marcado mesmo como NGC 6380.

Crédito:

ESA/Hubble & NASA, E. Noyola

Fonte:

https://esahubble.org/images/potw2128a/

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .