A Ciência da Super Lua – A Explicação Sobre a Maior Lua Cheia de 2013

ciencia_superlua_01

observatory_150105Existem mais coisas na Super Lua, do que nossos olhos podem ver.

A ciência governa a aparência da maior Lua Cheia do ano, e nesse fim de semana você poderá conferir essa impressionante aparição da Lua por si mesmo.

No domingo, dia 23 de Junho de 2013, a Lua estará no ponto mais próximo da Terra, de sua órbita, ponto esse chamado de perigeu. A passagem da Lua por esse ponto acontece enquanto a Lua entra na sua fase cheia, criando a coincidência cósmica conhecida como Super Lua. No momento em que estiver mais cheia e mais próxima, a Lua aparecerá aproximadamente 12% maior no céu.

“Não importa onde você esteja, a Lua Cheia que você verá será a maior de 2013”, disse Michelle Thaller, diretora assistente de ciência no Goddard Space Flight Center da NASA. “…Essa diferença de 12% no tamanho pode significar uma diferença de 30% em brilho, ou seja, será uma Lua Cheia particularmente brilhante”.

Se o tempo permitir, todo mundo deverá ser capaz de ver a Super Lua. A Lua nascerá no leste logo depois do pôr-do-Sol, disse Thaller. Ela aparecerá enorme e baixa no horizonte antes subir pelo céu brilhante durante a noite. O sábado (22) e o domingo (23) serão os dias ideais para observar o fenômeno.

Se você quiser poderá acompanhar uma transmissão ao vivo do fenômeno pelo site Space.com que começa no domingo, às 22:00, hora de Brasília, e que será uma cortesia da Slooh Space Camera, uma página na internet que permite você observar os astros (www.slooh.com).

As Super Luas ocorrem aproximadamente uma vez por ano, e nesse ano, a Super Lua estará um pouco mais próxima, disse Thaller.

A distância da Terra a Lua varia ao longo da órbita elíptica do nosso satélite rochoso. O perigeu difere de mês para mês, então algumas vezes a Super Lua está um pouco mais perto ou um pouco mais longe.

“A proximidade que a Lua alcança pode na verdade variar de um valor semelhante ao diâmetro da Terra”, disse Thaller. “Isso parece ser um número um pouco grande, mas a Lua está na verdade a uma distância média da Terra, equivalente a 30 vezes o diâmetro do nosso planeta, ou seja, se você alinhar 30 Terras você terá a distância média da Lua, mas esse valor pode variar um pouco”.

O Sol pode ser o responsável por essa diferença na distância. Em Dezembro, quando a Terra está mais próxima do Sol, uma Super Lua poderia ser até mais próxima e mais impressionante, disse a pesquisadora. A força da gravidade do Sol puxa tanto a Terra como a Lua em sua direção levemente, fazendo com que a Lua se aproxime mais do nosso planeta.

Embora possa ser uma grande oportunidade de se observar um objeto celeste maravilhoso como o nosso satélite, não se pode fazer muita pesquisa científica com a Super Lua. Os cientistas preferem estudar a Lua de um ponto de vista bem mais próximo usando câmeras de alta resolução acopladas a sondas na órbita do nosso satélite.

“A Super Lua, para os cientistas, é uma chance interessante de se falar sobre as mudanças no céu e também para observar o universo. Como cientistas nós gostamos de observar a Lua um pouco mais de perto, por exemplo, usando a sonda LRO, Lunar Reconnaissance Orbiter, que está atualmente orbitando o nosso satélite. Com essa sonda e sua capacidade esplêndida, nós estamos fazendo incríveis imagens de alta resolução de toda a superfície lunar”, finaliza Thaller.

ciencia_superlua_02

Fonte:

http://www.space.com/21676-supermoon-science-full-moon-2013.html

alma_modificado_rodape105

Sérgio Sacani

Sérgio Sacani

Formado em geofísica pelo IAG da USP, mestre em engenharia do petróleo pela UNICAMP e doutor em geociências pela UNICAMP. Sérgio está à frente do Space Today, o maior canal de notícias sobre astronomia do Brasil.

Veja todos os posts

Arquivo

Instagram

Error validating access token: The session has been invalidated because the user changed their password or Facebook has changed the session for security reasons.